Após vitória no primeiro jogo da final, alvinegros dominam BH

Atleticanos esbanjaram orgulho pela vantagem conquistada, mas pregaram cautela, enquanto cruzeirenses se dividiram

iG Minas Gerais | DIEGO COSTA |

O dia seguinte à vitória do Atlético sobre o Cruzeiro, na primeira partida da final da Copa do Brasil, os atleticanos saíram às ruas orgulhosos. A camisa alvinegra predominou na capital mineira. Por outro lado,  encontrar um cruzeirense com as cores do clube era missão complicada.

Apesar da satisfação com o resultado, os torcedores do Galo pregavam cautela. Na Praça da Savassi, a nutricionista Juliana Miranda, 32, gostou da entrega dos jogadores em campo.

"Estou muito satisfeita. O Galo jogou com raça, com muita vontade. Mas a gente sabe que ainda não acabou". Presente no Horto, ela diz que valeu a pena ir ao estádio. "Compensou muito o gasto. Nossos títulos são raros, confesso, tem que acompanhar de perto", completou.

Na Praça Sete, o comerciante Renato Junio, 41, considera que o placar ainda foi pouco.

"Pelo volume de jogo poderia ter sido mais. Mas a gente também sabe que depois das nossas viradas contra o Newells Old Boys, Olímpia, Corinthians e Flamengo, não tem nada decidido. Cruzeiro é qualificado. Pode reverter no Mineirão", disse o torcedor.

Cruzeirenses divididos

Se os atleticanos comemoram, o cruzeirense lamentou a atuação do time. Nas ruas, eles se dividiam entre a certeza de uma virada e a perda do título.

O torcedor Gilson Gonçalves, que estava com a camisa Argentina, já 'jogou a toalha'.

"Difícil reverter esse placar. O Galo sempre marca gols. O time decepcionou. Não teve criação. O cansaço só não justifica", afirmou.

Com poucos cruzeirenses com a camisa do time, o militar reformado Sebastião Gomes, 58, provocou: "Quem é, não fala. Sentiram o golpe. Para mim, o Galo já é campeão".

Mas a doméstica Mônica de Souza, 38, estava com o escudo cinco estrelas no peito e esbanjava confiança.

"Eu tenho certeza que vai virar. Será 3 a 0. O Cruzeiro é um time que reverte os resultados", destacou.

Ela estava ao lado da também doméstica Stefane da Silva, 23. Com a camisa alvinegra, a torcedora deu o troco: "O Galo ganhará por 4 a 1", concluiu. 

Leia tudo sobre: cruzeiroatleticofinalcopa do braislgaloraposaruastorcidafutebol