Consumidor já paga mais de 11% de juros no cheque especial

Apuração, no último dia 4, mostra que o maior aumento ocorreu no HSBC (de 10,77% para 11,99% ), o que representa elevação de 11,3% sobre o mês anterior

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Os juros cobrados pelos bancos de quem usa o crédito automático do cheque especial já atinge a média de 10% ante 9,66%, informa pesquisa mensal da Fundação Procon de São Paulo com sete bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

A apuração, no último dia 4, mostra que o maior aumento ocorreu no HSBC (de 10,77% para 11,99% ), o que representa elevação de 11,3% sobre o mês anterior. A segunda maior alta ocorreu no Banco Itaú (7,25%), com a taxa passando de 9,79% para 10,51%. No Banco Safra, o aumento correspondeu a 3,26% (de 9,2% para 9,5%) e, no Bradesco, houve alta de 1,35% (de 9,62% para 9,75%) . Nas demais instituições, não houve alterações.

Quanto ao empréstimo pessoal, a taxa média subiu de 5,81% para 6,01%. A maior alta foi encontrada no Bradesco (de 6,43% para 7,76% ao mês), o equivalente a um aumento de 20,68% sobre o mês anterior. Também ficou mais caro contratar empréstimo pessoal no Itaú, com alta de 1,14, passando de 6,12% para 6,19%. Nos demais bancos, as taxas permaneceram as mesmas do mês passado.

Em nota técnica, o Procon destaca que os aumentos refletem a elevação da Taxa Básica de Juros, a Selic, de 11% para 11,25%. Diante desse novo cenário, os economistas do Procon alertam que o consumidor deve priorizar o pagamento dos débitos com os ganhos do 13º salário e evitar fazer novos empréstimos.

Leia tudo sobre: JurosAumentoSelicBancosConsumidorCheque especialProconSão PaulopesquisaBrasileconomia