Comitê de Ética da Fifa isenta Rússia-2018 e Catar-2022 de corrupção

Em seu site oficial, a entidade publicou que inquérito instaurado para investigar as irregularidades nos Mundias não apontou qualquer violação ou quebra de regras e regulamentos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

O documento de 42 páginas, divulgado nesta quinta, é assinado por Hans-Joachim Eckert, presidente da Câmara Adjudicatória do Comitê de Ética,
Divulgação/Fifa
O documento de 42 páginas, divulgado nesta quinta, é assinado por Hans-Joachim Eckert, presidente da Câmara Adjudicatória do Comitê de Ética,

O Comitê de Ética da Fifa anunciou nesta quinta-feira (13) que o inquérito instaurado para investigar o processo de escolha de Rússia e Catar como sedes das Copas de 2018 e 2022, respectivamente, não apontou "qualquer violação ou quebra de regras e regulamentos".

Em seu site oficial, a entidade comemorou o resultado final da investigação e disse que "continuará com os preparativos para os Mundiais de 2018 e 2022, que, inclusive, já estão em andamento".

O documento de 42 páginas, divulgado nesta quinta, é assinado por Hans-Joachim Eckert, presidente da Câmara Adjudicatória do Comitê de Ética, que recebeu, em setembro, o relatório de 350 páginas feito por Michael Garcia, chefe da câmara de investigação do Comitê de Ética da Fifa.