Com revés, Oliveira reconhece: "Cruzeiro é uma equipe mal treinada"

Treinador afirmou que cansaço pesou para derrota na primeira partida, na Arena Independência

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Marcelo Oliveira dá orientações ao seu time da beirada do campo
LEO FONTES / O TEMPO
Marcelo Oliveira dá orientações ao seu time da beirada do campo

Marcelo Oliveira deixou o discurso tático e técnico de lado e destacou novamente o desgaste do Cruzeiro, ao analisar a derrota por 2 a 0 para o Atlético, na primeira partida da final da Copa do Brasil. 

 

Para o treinador, o cansaço pesou para a atuação ruim do time no estádio do Horto. 

"Tenho até falado da preocupação com esse calendário desumano (futebol brasileiro). Os jogadores estão cansados. Tenho falado depois de vitórias, e o Cruzeiro está muito bem no Brasileiro, é líder. Estava olhando com o preparador físico. O nosso time fez 28 jogos, quarta e domingo. O Cruzeiro é uma equipe mal treinada. Sabíamos da jogada do lateral. Poderíamos ter treinado. O Atlético não está brigando pelo título, pode poupar, isso talvez se refletiu no segundo tempo, com um pouco mais de vigor físico", explicou Marcelo Oliveira. 

"Eles (Atlético) tiveram um equilíbrio maior. O Cruzeiro não conseguiu jogar como normalmente joga. Fomos um pouco melhor na marcação. Mas eles foram melhor principalmente nas jogadas de ataque, na parte técnica, no conjunto que tem. Isso aconteceu depois do impedimento, numa decisão pesa. Isso não é desculpa. O Atlético foi mais decisivo. Sabemos que aqui é difícil. Alguns jogadores não conseguiram chegar. Estamos chateados. Mas tem o jogo de volta, com 50 mil pessoas para tentar vencer a equipe do Atlético", acrescentou. 

Sobre a atuação de Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, que foram substituídos, Oliveira lamentou que eles tenham sentido também o peso da sequência de partidas. 

"São dois jogadores convocados seleção brasileira. Não foi por acaso. Com condição técnica, com o talento. Estão abaixo, desgastados. Como o treinador vai tirar jogadores disputando a liderança. Só vou tirar jogadores que estiveram perto de machucar. Temos a volta do Alisson. Está aberto. Apesar do Atlético ter conseguido a vitória. Já no Brasileiro estamos perto", ponderou o comandante celeste. 

"Primeiro, devia ser mais justo. São duas competições importantíssimas no fim da temporada. Um time vai jogar sábado, outro domingo (referência ao Atlético ter jogado no último sábado, contra o Palmeiras, enquanto o Cruzeiro enfrentou o Criciúma, no domingo). Um dia de descanso faz muita diferença. Não dá para treinar, fazer um trabalho. Mas isso é o Brasil. Acontece por interesse de quem patrocina. Quem vai bem nas competições é punido. Tem que estar com um grande elenco. Treinar na medida do possível. O trabalho vai ser no data show. Assim será até o fim do ano", completou.