Clássicos unidos no palco

Sesc Palladium sedia encontro entre membro do Clube da Esquina Beto Guedes e a dupla de rock rural Sá & Guarabyra

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Beto Guedes. Músico apresentará sucessos da carreira, como “Sol de Primavera” e “Amor de Índio”
Lívia Bastos
Beto Guedes. Músico apresentará sucessos da carreira, como “Sol de Primavera” e “Amor de Índio”

De um lado, o ícone do Clube da Esquina conhecido por sua musicalidade que aflora a todo momento, Beto Guedes; do outro, a dupla de músicos integrantes do grupo criador de um estilo musical, o rock rural, que marcou uma época e influenciou bandas e movimentos importantes, como a Jovem Guarda, Sá & Guarabyra. Eles dividem o palco em apresentação única hoje, no Sesc Palladium, como parte do projeto Circuito Brasil Musical, que chega à capital mineira depois de passar por João Pessoa e Brasília.

Musicalmente, o trio já se conhece bem. Há cerca de 10 anos eles saíram juntos em turnê por oito cidades brasileiras. Pessoalmente, a situação é ainda de mais proximidade, principalmente entre Sá e Beto Guedes. “Mudei para Belo Horizonte há oito anos e desde então, mesmo com a agendas apertadas, encontro com Beto com frequência para bater papo”, conta Luíz Carlos Pereira de Sá, que preparava-se para ir até casa do amigo para o último ensaio durante a entrevista: “Vai ser a última passagem das músicas, o repertório está muito legal e estamos muito felizes de estarmos no mesmo palco”.

Sá aproveita para adiantar que o público verá, na primeira parte do show, uma apresentação solo de Beto Guedes. A segunda parte fica por conta da dupla e, no final, os três se juntam no palco. “Combinamos que cada um terá um bloco de 50 minutos”, adianta.

O período designado para a dupla será preenchido com uma mistura de sucessos, entre as quais clássicos da novela “Roque Santeiro” e canções mais recentes. “Como não tocamos em Belo Horizonte há algum tempo – o último show da banda na capital mineira foi há quatro anos – resolvemos misturar canções famosas, como ‘Caçador de Mim’ e ‘Espanhola’, que representam a parte mais tradicional de nossa trajetória, mas também teremos canções do ‘labo b’ dos álbuns, que quase não conseguimos tocar”, diz Sá. Desde que surgiu em 1973, a banda já gravou mais de 400 músicas.

Beto Guedes, por sua vez, irá apresentar músicas de seu vasto repertório durante sua apresentação solo, entre elas “Sol de Primavera”, “Amor de Índio” e “Maria Solidária”. Para Sá, a proximidade com o cantor não diminuiu a admiração. “É um músico muito detalhista, rigoroso com o seu trabalho e fiel aos seus princípios”.

Trajetória. Dois dos criadores do estilo conhecido como rock rural, que une folk, rock, o sertanejo e trata de temas ligados ao campo de forma lírica, Sá e Guarabyra influenciaram, no passado, movimentos importantes, como a Jovem Guarda. E, mesmo nos dias de hoje, seus traços permanecem como fontes de inspiração. “Vejo muitas bandas atuais que usam de alguma coisa da gente, como a Vanguart”, diz Sá.

Ser uma referência, conta o músico, é uma junção de alegria com a satisfação do dever quase cumprido. “Acho que é uma das missões dos artistas criar algo que possa ser dividido com o público e que se torne relevante para a história. Por isso, eu diria que é como se tivesse cumprido 70% de meu dever como músico”.

A porcentagem restante talvez esteja no que ainda está por vir. Sem lançar um disco desde 2009, Sá garante que novas músicas logo devem aparecer. “Estamos trabalhando em inéditas”, conta.

Agenda

O quê. Beto Guedes e Sá & Guarabyra

Quando. Hoje, às 21h

Onde. Sesc Palladium (rua Rio de Janeiro, 1.046, centro)

Quanto. Plateia I - R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia); Plateias II e III – R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave