“Suspeita de desvio é grave”

Em seguida, houve saques em espécie e transferências para outras contas. Segundo o ministro, após as denúncias, a entidade foi descredenciada

iG Minas Gerais |

Brasília. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, afirmou nesta quarta, em audiência na Comissão de Agricultura da Câmara, que as denúncias de desvio no Pronaf no Rio Grande do Sul são “graves” e que a pasta abriu investigação.  

Reportagem da “Folha de S.Paulo” mostrou que interceptações telefônicas da Polícia Federal com ordem judicial levantaram indícios de que dinheiro desviado do programa de incentivo à agricultura familiar no Estado foi usado em campanhas eleitorais do PT no Rio Grande do Sul.

O inquérito tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) por haver suspeita da participação do deputado federal Elvino Bohn Gass (PT-RS), que tem foro privilegiado. A investigação revela que dinheiro liberado na forma de empréstimos do Pronaf contraídos no Banco do Brasil em nome de produtores rurais entrou nas contas de uma associação de Santa Cruz do Sul (RS), a Aspac, e de lá seguiu para contas pessoais de dirigentes e ex-dirigentes da entidade.

Em seguida, houve saques em espécie e transferências para outras contas. Segundo o ministro, após as denúncias, a entidade foi descredenciada.

Entenda

Crédito. O Pronaf é um programa de crédito rural com foco nos pequenos agricultores para incentivar a produção. Sua carteira atual é de R$ 56 bilhões em crédito para 3,5 milhões de contratos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave