Menina tem duas mães e um pai

A criança foi registrada com Fernanda Batagli Kropenscki, 26, e Mariani Guedes Santiago, 27, como mães

iG Minas Gerais |

Porto alegre. Em setembro, o juiz diretor do Fórum de Santa Maria, Rafael Pagnon Cunha, tomou uma decisão inédita e permitiu a uma menina nascida em 27 de agosto ter em sua certidão de nascimento os nomes do pai e de suas duas mães. A criança ainda teve registrados os nomes de todos os avós em seu primeiro documento oficial.

Esse foi o primeiro bebê no país a ter a certidão mutiparental no primeiro registro. Antes do caso, havia crianças que tiveram seus documentos corrigidos pela Justiça, acrescentando mais um pai ou mãe.

A criança foi registrada com Fernanda Batagli Kropenscki, 26, e Mariani Guedes Santiago, 27, como mães. Juntas há 4 anos, elas desejavam ter um filho, e chamaram um amigo, Guilherme Canfield Barbosa, 27, para ser o pai biológico, que fez como única exigência ser registrado como pai na certidão de nascimento.

Para o magistrado, o que os pais querem é “admiravelmente assegurar à sua filha uma rede de afetos. (...) E ao Judiciário, Guardador das Promessas do Constituinte de uma sociedade fraterna, igualitária, afetiva, nada mais resta que dar guarida à pretensão – por maior desacomodação que o novo e o diferente despertem.”

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave