Ex-presidente da Portuguesa se diz caluniado e quer esclarecimento

Com possível suborno, Manuel da Lupa afirma que ainda vai recorrer ao Poder Judiciário

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

16/12/2013 - ATAQUE - Julgamento dos clubes Flamengo e Portuguesa, realizado no STJD, no Rio de Janeiro, acusados de escalar jogadores suspensos na 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado do julgamento pode rebaixar a Portuguesa e salvar o Fluminense da segunda divisão. Na foto, o presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa. Foto de Márcio Mercante / Agência O Dia                                                     ESPORTE / FUTEBOL / JULGAMENTO / SÉRIE B / REBAIXADO
Agência O Dia
16/12/2013 - ATAQUE - Julgamento dos clubes Flamengo e Portuguesa, realizado no STJD, no Rio de Janeiro, acusados de escalar jogadores suspensos na 38ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado do julgamento pode rebaixar a Portuguesa e salvar o Fluminense da segunda divisão. Na foto, o presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa. Foto de Márcio Mercante / Agência O Dia ESPORTE / FUTEBOL / JULGAMENTO / SÉRIE B / REBAIXADO

Manuel da Lupa, ex-presidente da Portuguesa, divulgou nesta quarta (12) uma nota oficial sobre o relatório do Ministério Público que indica existência de suborno no caso Héverton, que culminou no rebaixamento da Portuguesa à Série B, em 2013, quando ele era presidente do clube.

O ex-dirigente afirma que é o maior interessado no esclarecimento do caso e diz já ter prestado depoimento no início deste ano. Ele afirma ter disponibilizado sigilos telefônico, bancário, fiscal à investigação, à época.

Da Lupa diz ainda que está sendo alvo de calúnia, injúria e difamação, e que vai recorrer ao Poder Judiciário no momento adequado.

Abaixo, a íntegra da nota do ex-dirigente.

"Em virtude das notícias veiculadas na imprensa sobre o "caso Héverton", temos a esclarecer o seguinte: O caso está sob investigação do Ministério Público do Estado de São Paulo, 5ª Promotoria do Consumidor, sob responsabilidade do Promotor de Justiça Dr. Roberto Senise Lisboa. Confio na imparcialidade do órgão na averiguação dos fatos, pois sou maior interessado na apuração da verdade. Como Ex-Presidente de Diretoria da Associação Portuguesa de Desportos (meu mandato terminou em 31/12/2013), prestei depoimento no inquérito civil instaurado, onde coloquei à disposição meus sigilos telefônico, bancário, fiscal e tudo mais o que fosse necessário. Quanto à apuração dos fatos pelo Clube, fui obrigado a recorrer ao Poder Judiciário para a Garantia dos Direitos Constitucionais de contraditório e ampla defesa, prevista no artigo 5o, LV da CF/88, estando o caso em juízo. Quero esclarecer que, enquanto Presidente de Diretoria, todas as contas (balanços) foram auditadas e aprovadas pelo COF (CONSELHO DE ORIENTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO e CONSELHO DELIBERATIVO) e se encontram publicadas no site da Federação Paulista de Futebol, em cumprimento ao que determina a Lei Pelé (com as alterações da Lei 12.395/2011). Infelizmente, eu e minha família estamos sendo alvo de Calúnia, Injúria e Difamação. Vou aguardar o momento oportuno para recorrer ao Poder Judiciário, e essas pessoas que estão me acusando terão que provar em juízo tais alegações. Sou um cidadão honesto e trabalhador. Meu patrimônio foi construído ao longo da minha vida com muita luta e trabalho. Não seria capaz de prejudicar a Portuguesa, que tanto amo e a quem dediquei quase 10 anos.

Manuel da Conceição Ferreira

(Manuel da Lupa)"

Leia tudo sobre: Futebolcaso hévertonhévertonportuguesaManuel da Lupasubornocalúniadifamação