Técnico russo é suspenso por comentários racistas

Sobre número de negros no time, Igor Gamula afirmou: "jogadores de pele escura; já temos seis dessas coisas"

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Suspensão ao treinador, de 54 anos, vai até março do ano que vem
REPRODUÇÃO SITE FC ROSTOV
Suspensão ao treinador, de 54 anos, vai até março do ano que vem

Um técnico de futebol russo que disse que não contrataria jogadores negros recebeu suspensão de cinco jogos nesta quarta-feira (12) por discriminação racial.

A punição é a mais severa já conferida a um jogador ou técnico pela Federação Russa de Futebol por motivo de racismo.

O treinador Igor Gamula, do FC Rostov, disse a jornalistas em coletiva que o time tinha um número suficiente de "jogadores de pele escura; já temos seis dessas coisas". O comentário foi feito após pergunta sobre rumores de contratação do zagueiro camaronês Benoit Angbwa.

Além disso, questionado sobre o estado de saúde de seus cinco jogadores lesionados, Gamula afirmou já estar preocupado com a possibilidade de ser uma contaminação de ebola. Em seguida, ele classificou o comentário como uma "piada".

Três dias após as afirmações, o treinador pediu desculpas publicamente após os jogadores africanos do time terem ameaçado entrar em greve.

A suspensão do técnico de 54 anos durará até março, devido à interrupção de três meses do Campeonato Russo por causa do rigoroso inverno local.

A cidade de Rostov será uma das sedes da Copa do Mundo de 2018.

HISTÓRICO

Os incidentes racistas têm se repetido com frequência nos últimos anos do futebol russo.

Em 2008, o Zenit correu o risco de ser eliminado da Copa da Uefa por insultos racistas direcionados a jogadores negros do Olympique de Marselha.

Em 2011, o lateral brasileiro Roberto Carlos, à época no Anzhi, saiu de campo após um torcedor arremessar uma banana em sua direção.

Em outubro de 2013, o CSKA Moscou teve que jogar apenas com parte de sua torcida após insultos ao volante Yaya Touré, do Manchester City.

Leia tudo sobre: RacismoRússiatécnicopuniçãoracista