Segunda cota do volume morto do Cantareira deve ser usada em breve

Além do Cantareira, que fornece água para 6,5 milhões de pessoas, os outros reservatórios também apresentaram queda nesta quarta-feira (12)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Sabesp vai começar a usar a segunda cota do volume morto provavelmente na próxima semana. A informação foi passada nesta quarta-feira (12) pelo secretário estadual de Recursos Hídricos, Mauro Arce.

O volume morto é a porção de água que fica abaixo da tubulação de captação e que precisa ser bombeado. Nesta quarta o sistema Cantareira opera com 11% de sua capacidade já incluindo a segunda cota do volume morto, que ainda não é utilizada. Na terça-feira (11), o índice era de 11,1%. No ano passado, o Cantareira operava com 34,4% de sua capacidade.

Sem ela, o nível estaria em 0,3%, que é o que resta da primeira parte dessa reserva. A primeira cota do volume morto começou a ser captada em maio deste ano, quando o Cantareira estava em 8,2%. Com a reserva, o nível de água disponível aumentou para 26,7%.

Arce presta depoimento na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Sabesp que acontece na Câmara de São Paulo. Segundo ele, o governo trabalha com a hipótese de que as chuvas ficarão dentro da média até abril de 2015 o que vai melhorar a situação dos reservatórios em relação a este ano.

O vereador Nabil Bonduki (PT) rebateu a informação do secretário. Segundo o petista, baseado em estudos feitos por professores da USP, chuvas dentro da média não vão recompor as represas do Cantareira. E, neste caso, a situação do abastecimento de água para 2015 continuaria bastante crítica.

Nível volta a cair. Além do Cantareira, que fornece água para 6,5 milhões de pessoas, os outros reservatórios também apresentaram queda nesta quarta-feira (12).

O índice do Alto Tietê, que abastece 4,5 milhões de pessoas, caiu 0,2 ponto percentual, chegando a 7,8%. De acordo com a Sabesp, o nível do Guarapiranga, responsável pelo abastecimento de 4,9 milhões, teve queda de 0,3 ponto percentual, caindo para 35,7%.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave