PF desmonta quadrilha de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 1 bi

Parte de dinheiro arrecadado com ações ilegais era repassado ao instituto Ativa Brasil, com sede em Belo Horizonte

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Polícia Federal desarticulou na manhã desta quarta-feira (12) uma quadrilha que agia em 13 Estados e movimentou mais de R$ 1 bilhão com loterias, jogo do bicho, caça-níqueis e títulos de capitalização. 

Cerca de 300 policiais cumpriram 12 mandados de prisão temporária, 24 mandados de prisão preventiva, 57 mandados de busca e apreensão, 47 mandados de sequestro de valores e de bens em Pernambuco, Alagoas, Amazonas, Bahia, Espirito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande de Sul.

Em Pernambuco, um policial militar também foi preso, segundo a PF. Pela manhã, foram feitas buscas em apartamentos de prédios luxuosos da orla de Boa Viagem, zona sul da cidade. Foram apreendidos carros de luxo, computadores e dinheiro em espécie. De acordo com a PF, a organização criminosa agia em três frentes.

Uma delas operava por meio de loterias estaduais. A investigação concluiu que os valores arrecadados eram repassados a entidades filantrópicas de fachada, fazendo com que o montante retornasse ao grupo, em um processo de lavagem de dinheiro.

É o caso da "Pernambuco Dá Sorte", que, segundo a PF, comandava o esquema que se estendia por outros oito Estados. Parte do valor arrecadado era repassado ao instituto Ativa Brasil, com sede em Belo Horizonte.

"Aquele instituto fazia uma camuflagem de contabilidade, uma fraude contábil no sentido de contratar publicidade para justificar o pagamento. Mas, na verdade, o pagamento era só para justificar o dinheiro que permanecia no grupo", afirmou Marcello Diniz, superintendente da PF em Pernambuco.

Na entidade filantrópica, um homem que se identificou apenas como Everaldo e afirmou ser vigilante disse à reportagem que a Polícia Federal apreendeu material no local e que, após a operação, todos os funcionários foram dispensados.

Outro segmento da organização criminosa, segundo a PF, tem sede em São Paulo e era responsável pelo fornecimento de máquinas caça-níqueis para Pernambuco e outros Estados e até para o exterior.

Uma terceira ramificação do grupo aparecia como instituição financeira seguradora de bancas de jogo do bicho no Nordeste, garantindo o pagamento dos prêmios e promovendo lavagem de dinheiro. A venda dos títulos de capitalização das empresas envolvidas na operação está suspensa. O site do "Pernambuco Dá Sorte" está fora do ar. A reportagem tentou contato por meio do telefone informado na cartela do título de capitalização, mas ninguém atendeu as ligações na tarde desta quarta-feira.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave