Para Fábio, momento do Cruzeiro é fator motivador para conquistas

Goleiro celeste também afirma que não se sente incomodado com o fato da equipe ter que jogar no Independência

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Goleiro diz não gostar de polêmicas e reclamou da forma como algumas pessoas avaliaram o gol sofrido no Maracanã
GUALTER NAVES/LIGHT PRESS/TEXTUAL
Goleiro diz não gostar de polêmicas e reclamou da forma como algumas pessoas avaliaram o gol sofrido no Maracanã

Prestes a completar 601 jogos pelo Cruzeiro, o capitão Fábio vai para mais uma final na sua carreira como goleiro do Cruzeiro. Agora, o desafio é encarar o rival Atlético, às 22h, no Independência, pela primeira partida da final da Copa do Brasil. E o goleirão acredita que o momento da Raposa é favorável à conquista de títulos nacionais. Afinal o time de Marcelo Oliveira não perde há sete jogos (cinco pelo Brasileiro e dois pela semifinal da Copa do Brasil), e a equipe voltou a jogar o seu bom futebol, mesmo sentindo o peso da temporada. Fatores que para o arqueiro, podem contribuir para levar as taças do Brasileirão e da Copa do Brasil.

“O que me inspira é o presente. O que você construiu já ficou marcado na história do clube, essa é a motivação do Cruzeiro. Pensamos no hoje, no que podemos fazer no presente. Quarta-feira teremos a oportunidade de fazer o nosso máximo e entrar de forma inesquecível para a história do Cruzeiro. Essa é a minha motivação, é assim que tento me motivar para essas decisões que teremos nesse mês”, ressaltou o defensor.

O goleiro é o jogador celeste do atual elenco que mais enfrentou o time alvinegro, inclusive jogando no Horto, estádio onde a Raposa nunca venceu os atleticanos - desde que foi reinaugurado. Mesmo com esse retrospecto ruim, para o capitão cruzeirense, jogar dentro dos “domínios” do rival não é motivo de preocupação.

“Vejo de forma natural, já enfrentamos o Atlético em outras situações, na final do Mineiro. Pra nós é indiferente do estádio, a gente precisa jogar de forma eficiente e é isso que estamos tentando fazer. Em uma decisão isso é mais fundamental do que nunca. Temos que sobressair a todas as dificuldades pra quem ser campeão”, avaliou o goleiro.

E enfrentar o maior rival numa decisão nacional é motivo suficiente para mexer com a “cabeça dos jogadores”. Mas o goleirão celeste trata logo de espantar esse nervosismo e afirma que todos os atletas estão cientes do peso desta decisão para a história cruzeirense.

“Todo mundo tem a sua forma de sentir uma partida, uma decisão, mas sabemos o que é preciso pra resultado, isso a gente colocou pra chegar nessa decisão. Todos estão felizes por chegar mais próximos desse objetivo, todos estão felizes por chegar na final, todos sabem da sua responsabilidade e do algo a mais pra vencer esse jogo”, concluiu o capitão. 

Leia tudo sobre: fabiogoleirocruzeiroraposatitulofutebol