Chapa de Eurico vence, e dirigente deve voltar à presidência do Vasco

Nesta terça-feira, os vascaínos elegeram 150 conselheiros que no dia 19 de novembro, irão escolher o novo presidente do clube

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Divulgação
undefined

Com chapa de conselheiros eleitos, o ex-deputado federal Eurico Miranda, 70, deve voltar à presidência do Vasco. Na madrugada desta quarta-feira (12), com 2.733 votos, a chapa de Eurico foi a preferida pelos vascaínos.

As chapas dos outros concorrentes, o advogado Roberto Monteiro, 73, e o executivo Julio Brant, 37, receberam respectivamente 1.155 e 1.570 votos.

A eleição do Vasco é indireta. Os vascaínos elegeram 150 conselheiros e eles, no dia 19, vão escolher o novo presidente.

A chapa vencedora no pleito de terça-feira (11) ficou com 120 vagas e a segunda mais votada, com as 30 demais. Dessa forma, os 150 eleitos se somarão aos 150 que já compõem o conselho do Vasco como integrantes natos.

Foi uma eleição de clube de futebol, mas em tudo lembrava uma disputa eleitoral tradicional. Os candidatos mobilizaram grande militância para pedir votos de última hora no entorno da sede do Vasco.

Durante o dia, a votação correu tranquila do lado de fora, mas, à noite, por volta das 22h, horário de fechamento das urnas, houve confusão. Com militantes lado a lado na parte de fora do estádio, houve um momento mais tenso quando cabos das chapas concorrentes e integrantes das organizadas cruz-maltinas trocaram agressões.

A Polícia Militar chegou a lançar spray de pimenta e intervir para separar o grupo que queria brigar. O gás de pimenta ficou no ar e trouxe incômodo a quem estava nos arredores da sede do Vasco, em São Januário, na zona norte do Rio.

Do lado de dentro do ginásio, o local onde as urnas estavam montadas, também houve rivalidade entre os candidatos.

Brant, apoiado por ídolos do futebol vascaíno como Edmundo, entrou com pedido de embargo na Mesa Eleitoral, apontando pelo menos 150 eleitores que, na avaliação da chapa, estariam irregulares porque não constavam na lista prévia de eleitores votantes. Eurico desdenhou do movimento dos adversários e disse que a crise pela qual o Vasco passa mobilizava seu retorno.

"Se não estivesse na situação em que está, você acha que eu iria voltar?", disse o candidato. A possibilidade de que a eleição vá parar na Justiça existe, por causa das suspeitas sobre a lista de votantes.

O atual presidente do clube é o ex-atacante Roberto Dinamite que, sem repetir o sucesso dos campos, deixa a presidência com dívidas e autoestima em baixa no futebol.

Leia tudo sobre: vascoeurico mirandaeleiçoes