Via tem corredor só para ônibus

Todo o corredor – entre avenida Pedro II e Mineirão – passa a ter faixa de coletivos nos dois sentidos

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

Sinalização. Placas no canteiro central e nas calçadas da avenida indicam onde há vagas de rotativos
Uarlen Valério
Sinalização. Placas no canteiro central e nas calçadas da avenida indicam onde há vagas de rotativos

A avenida Carlos Luz – mais conhecida como Catalão – passa nesta quarta a ter faixa exclusiva para ônibus em toda a extensão de 6,6 km entre as avenidas Pedro II, na altura do bairro Caiçara, na região Noroeste, e o Mineirão, na Pampulha. A mudança, regulamentada pela Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), vale a partir desta quarta, quando o sistema começa na faixa mais à direita da via entre as avenidas Pedro II e Américo Vespúcio, nos dois sentidos. Para priorizar o transporte coletivo, será proibido o estacionamento em toda a via, de segunda-feira a sexta-feira, das 6h às 20h; e nos sábados, das 6h às 14h. No domingo, o estacionamento será liberado. A BHTrans também extinguiu as nove vagas de rotativo que havia na avenida Catalão, na altura do bairro Caiçara, e criou 45 vagas de estacionamento rotativo e outras cinco vagas de carga e descarga, distribuídas entre as ruas Magnólia, Serra Negra, Rosinha Sigaud e Piranhas, transversais à avenida Catalão. As novas vagas poderão viabilizar até 225 oportunidades de estacionamento por dia na região, segundo a BHTrans. Repercussão. Mal entrou em vigor, a mudança já preocupa os comerciantes da região, que temem a queda no movimento de seus estabelecimentos. Segundo Sileide Pereira, 37, funcionária de uma padaria na avenida Catalão, muitos clientes podem deixar de frequentar o local, já que não vão conseguir vagas para estacionar na porta. “Geralmente, os clientes gostam de parar na porta, para descer e comprar de forma cômoda e rápida”, destacou a mulher. Essa também é a reclamação de Marlene do Carmo Costa, 52, dona de um restaurante na mesma via. “Antes as pessoas estacionavam na frente do restaurante e conseguiam almoçar com tranquilidade. Agora, elas terão que estacionar mais longe e caminhar até aqui. Não sei se isso vai ser bom”, avaliou a comerciante. Motoristas também estão temerosos em relação às mudanças. “Achei a mudança ruim. O acesso ao comércio na avenida Catalão vai ficar complicado, pois vamos ter que ficar rodando pelas ruas, em busca de vagas mais perto de onde queremos ir”, disse o cabeleireiro Jacques Montoro, 39.

Associação de comerciantes aprova mudanças As modificações no estacionamento da avenida Catalão e região vão ser benéficas para os clientes dos estabelecimentos comerciais, que terão a garantia de vagas, segundo Lucas Júnior, presidente da Associação dos Proprietários e Comerciantes da Regional Noroeste de Belo Horizonte. “As vagas rotativas foram colocadas para os clientes. Antes, quando era permitido parar (na avenida) o dia todo, 99% dos veículos estacionados eram dos proprietários das lojas, e era raro ter espaço para os clientes”, afirma. A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) informou que as mudanças na região foram amplamente discutidas com a comunidade e com os comerciantes. Segundo a autarquia, as alterações permitirão maior fluidez ao trânsito do local.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave