Cruzeiro quer vencer Atlético em 2014 e quebrar tabu do Independência

Dos cinco clássicos disputados este ano, a Raposa ainda não venceu, embora tenha faturadoo Mineiro em cima do rival

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

Marcelo Moreno comemora gol marcado sobre o rival Atlético
Douglas Magno / O Tempo - 11.5.14
Marcelo Moreno comemora gol marcado sobre o rival Atlético

Em 2014, Cruzeiro e Atlético já se enfrentaram cinco vezes e, em nenhuma delas, a Raposa conseguiu vencer. Foram duas vitórias alvinegras e três empates. O título mineiro celeste, conquistado em cima do rival, veio após dois resultados iguais, de 0 a 0, pois o time azul tinha vantagem por ter se classificado em primeiro.

Agora, os cruzeirenses querem escrever uma história diferente nos confrontos válidos pela final da Copa do Brasil. “O clássico contra o Atlético é um jogo totalmente diferente dos outros. Infelizmente, não conseguimos vencê-los neste ano. O empate (no Mineiro) foi de bom tamanho e nos deu o título. Agora, precisamos ganhar. Vamos em busca dos gols no Independência e em casa. Depois, vamos pensar no regulamento, que é muito importante também”, declarou o meia-atacante Ricardo Goulart.

O goleiro e capitão Fábio afirma que o time não venceu por detalhes e não pelo fato de o rival ter sido melhor nas partidas. “Nós sabemos que os clássicos são decididos nos detalhes e, nesses jogos, os detalhes foram a favor do Atlético, que conseguiu, por méritos, aproveitar e vencer. Mas tirando a final do Mineiro de 2013, em que perdemos por 3 a 0, o que foi um resultado atípico, com o nosso time perdendo um jogador expulso muito cedo, o Cruzeiro jogou bem todas as partidas. Não vencemos por detalhes. Neste ano não vencemos, mas fomos campeões do Mineiro, com dois empates. Vamos mostrar o melhor, independentemente do que aconteceu nos outros jogos”, declarou.

Além de querer vencer o rival em 2014, o atacante Willian vê totais condições do Cruzeiro vencer o Galo no Independência pela primeira vez desde que o estádio foi reinaugurado. “A gente tem totais condições de vencer no Independência. Como o Fábio disse, é um jogo de detalhes. Todos estão mobilizados. Sabemos da pressão que eles exercem quando jogam lá e eles sabem da pressão que é jogar com a gente no Mineirão. É ter total atenção e, quando tivermos a bola, jogar com a mesma alegria de sempre, criar as jogadas e quando chegar perto do gol definir a partida, o que vai ser muito importante para o jogo de volta”, disse o avante do Bigode.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposafinalcopa do brasilclassicotabuindependencia