Bradesco é condenado a pagar R$12 mil para cliente vítima de saidinha

Indenização por danos morais é quase 10 vezes maior que o valor roubado por assaltantes

iG Minas Gerais | Felipe Castanheira |

Um eletricista assaltado depois de sacar R$ 1.320, vai receber uma indenização quase 10 vezes maior que que o valor roubado em uma saidinha de banco. A decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou o Bradesco a pagar R$ 12 mil por danos morais a vítima, além de ressarcir o valor roubado.

Em  9 de agosto de 2010 o eletricista L.C.S fez um saque em uma agência na avenida Olinto Meireles, bairro Milionários, na região do Barreiro, em Belo Horizonte e foi assaltado por dois homens armados logo depois de sair do local. Além do dinheiro, os criminosos também levaram objetos pessoais e documentos da vítima. Depois do roubo, os assaltantes fugiram usando uma motocicleta.

O eletricista acionou a justiça contra a empresa e perdeu o processo na primeira instância, mas a sentença foi reformada pela 17ª Câmara Cível de Belo Horizonte, que entendeu que o banco era responsável por assegurar a segurança dos consumidores.

“Sabe-se que é dever das instituições financeiras garantir a segurança de seus clientes, providenciando um sistema de segurança adequado para tanto, sem o qual não será autorizado a funcionar”, determinaram os desembargadores do caso.

A decisão de determinar o pagamento de danos morais, se deu pelo entendimento de que é  “incontestável que os fatos geraram angústia, dor e medo à vítima”.

Questionado sobre o caso, o Bradesco optou por não comentar o assunto. Ainda cabe recurso contra a decisão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave