Reintegração de posse retira 174 famílias de terreno em Betim

Cerca de 450 pessoas foram desalojadas e levadas para albergues, abrigos e centros esportivos da cidade; não houve confusão

iG Minas Gerais | José Augusto Alves |

Depois de protestarem e paralisarem a BR-381 por mais de quatro horas nessa segunda-feira (10), as 174 famílias que ocupavam um terreno no bairro Ponte Alta, em Betim, na região metropolitana, foram retiradas nesta terça-feira (11). A ação, que foi iniciada pela manhã e durou o dia todo, ocorreu de maneira tranquila e sem confusão.

A operação foi feita para cumprir uma decisão judicial de reintegração de posse da área, que pertence à prefeitura. Cerca de 450 pessoas foram desalojadas e levadas para albergues, abrigos e centros esportivos da cidade. Os ocupantes ficaram revoltados. Um dos desalojados é o pai da auxiliar de serviços gerais Adriana Santos. “Meu pai tem 66 anos e não tem para onde ir. É uma injustiça o que estão fazendo”, disse.

Outra família que foi desalojada é a da beneficiada Cibele Dias Pereira. “Nós chegamos aqui há mais de oito meses e o prefeito disse que não teria problema. Então, depois de nós construirmos nossos barracões, criando dívidas para pagarmos os materiais, agora ele vem e nos tira, sem ter um lugar para nos levar? Isso é um desrespeito”, afirmou. “Não queremos nada de graça, até pagamos um valor simbólico como o do Minha Casa, Minha Vida, mas queremos um lugar para morar”, completou.

De acordo com o superintendente municipal de Habitação, Alex Couto, algumas famílias que estavam no terreno são beneficiadas de programas sociais. “Algumas recebem o Bolsa Família e também o Cesta Escola, programas em que é obrigatório informar residência fixo”, disse.

Segundo a prefeitura, 92 famílias recebem algum desses benefícios, e 18 são declaradas de fora de Betim. A operação contou com a Polícia Militar, a Guarda Municipal, Defesa Civil e técnicos das secretarias de Saúde, Assistência Social e Superintendência de Habitação. “A operação aconteceu de maneira pacífica, sem nenhuma revolta”, afirmou o major Aloísio Oliveira, da PM.

De acordo com a prefeitura, as famílias que não têm para onde ir serão levadas para abrigos municipais, e seus pertences, encaminhados para o Parque de Exposições David Gonçalves Lara. “A prefeitura estudará caso a caso a situação dos ocupantes”, informou.

Na segunda, as famílias que ainda ocupavam o terremos fizeram dois protestos para tentar evitar o despejo. Elas foram ao Fórum e, depois, à prefeitura para falarem com o prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB). Como ele não os recebeu, os manifestantes se dirigiram até à BR-381 e interditaram os dois sentidos da rodovia, queimando pneus e galhos de árvores. Após mais de quatro horas, eles liberaram a BR. O congestionamento foi de mais de cinco quilômetros.  

Leia tudo sobre: reintegração de possebetimfamíliasterrenoocupaçãoponte alta