Obras-primas tocadas ao piano com improviso e perfeição

Pianista Eduardo Hazan apresenta peças de Schumann e Mussorgsky com estilo próprio

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Pianista Eduardo Hazan tem mais de cinco décadas de trajetória
Teatro Bradesco/divulgação
Pianista Eduardo Hazan tem mais de cinco décadas de trajetória

Por mais que a música clássica exija rigidez e perfeccionismo, o pianista Eduardo Hazan, considerado um dos melhores do país atualmente, acredita no improviso de apresentações únicas. “Nunca toco da mesma forma”, garante. Mesmo lidando com duas das mais importantes peças sinfônicas de Robert Schumann e Modest Mussorgsky, o pianista promete improvisar bastante na apresentação solo que faz hoje à noite, como convidado do projeto Concertos, no Teatro Bradesco.

Com mais de 50 anos de experiência em piano clássico, o músico rodou em turnês por Áustria, Inglaterra, França, Espanha, Portugal, além de ser premiado nos concursos Marguerite Long Thibaud (Paris), Vianna da Motta (Lisboa) e Concurso Internacional do Rio de Janeiro, durante apresentações nos anos 60. Hoje, porém, ele se dedica às aulas particulares de piano e à média de quatro a cinco concertos que faz por ano.

Dispensável de apresentações técnicas, o pianista vai apresentar uma das principais peças de Shumman, “Carnaval Opus 9”, e a obra mais importante de Mussorgsky, “Quadros de Uma Exposição”. “São duas histórias literárias lindas e composições altamente técnicas. A primeira tem sequências de notas repetidas com precisão em cada parte, e a segunda foi ignorada ao ser composta no século XIX, mas estudada por Debussy exaustivamente, se tornando conhecida graças a ele”, justifica o pianista.

Mesmo lidando com obras tão “delicadas para receber qualquer tipo de intervenção nova”, o músico garante que sua interpretação será diferente. Com mais de 2.000 discos – entre CD’s e LP’s – de música popular brasileira estocados em casa, ele se deixa influenciar por diversas vertentes da MPB e do jazz para incrementar suas apresentações. “Eu ouço pianistas que tocam muito mais do que eu essas obras, além de muito jazz e MPB, que são duas vertentes clássicas, mas totalmente abertas a experimentalismos. Isso me ajuda a conseguir não ficar preso a uma peça clássica e reproduzi-la fielmente, como algo maçante”, justifica.

A próxima atração do Concertos no Teatro Bradesco é com o renomado pianista Nelson Freire, no dia 10 de dezembro, com ingressos já esgotados.

Agenda

O QUÊ. Concerto Eduardo Hazan

ONDE. Teatro Bradesco (rua da Bahia, 2.244, Lourdes)

QUANDO. Hoje, às 20h30

QUANTO. R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave