Precisamos discernir o corpo de Cristo

iG Minas Gerais |

Se pudermos fazer um resumo de todo ensino que Deus tem para nós, ele desembocaria na ceia do Senhor. Quando participamos da ceia, temos tudo o que Deus deseja para nós. O sangue de Jesus nos justifica. É por isso que celebramos sempre a ceia, pois, por meio dela, recordamos também essa verdade e deixamos de ser alvo das acusações de satanás. A ceia do Senhor é imprescindível para todos os membros da igreja, tanto que, no início da igreja, ela não era celebrada se um único irmão estivesse ausente. Enquanto todos não chegavam, a ceia não era celebrada. Ela não é um cerimonial, é algo tão glorioso, e precisamos ter a compreensão do porquê de sua celebração. O verso 29 de 1 Coríntios 11 diz: “[...] pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si”. O que significa discernir o corpo? Você precisa ter o entendimento que faz parte de um corpo. E não um corpo qualquer. Em 1 Coríntios 10, verso 17, diz assim: “Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo; porque todos participamos do único pão”. A Igreja é o corpo da cabeça que é Cristo. Igreja não é simplesmente um ajuntamento de pessoas, e quando esse termina, cada pessoa volta para a casa. Existe uma aliança. Quando celebramos a ceia, estamos anunciando a nova aliança; não é mais a velha aliança, que era apenas uma figura. Na velha aliança, todos os atos praticados apenas prefiguravam o que aconteceria. A celebração da ceia não se refere ao tamanho do pão ou à quantidade do vinho, pois poderia ser apenas uma gota de vinho e um pedacinho de pão, ou um pão inteiro e um litro de vinho, logo, não é nada disso. A celebração da ceia é o que ela representa. Temos que discernir o corpo de Cristo, ou seja, discernir a maneira que o Senhor estabeleceu para que a Igreja viva, cada um fazendo a sua parte, cada membro cumprindo, realmente, o papel dEle no corpo de Cristo. A ceia é exatamente para você discernir o corpo de Cristo. Se você não discernir o corpo, perde o privilégio de assumir o que Deus tem para a sua vida. Jesus falou para chorarmos com os que choram e nos alegrarmos com os que se alegram. E, segundo as Escrituras, o choro pode durar uma noite, mas a alegria sempre volta, e se você for parte desse corpo, esperará a volta da alegria na vida de seu irmão e se alegrará com ele. Você é parte do corpo, assim como todas as células e todo o sistema fazem parte do seu corpo físico, cada membro da Igreja faz parte do corpo de Cristo. O Senhor Jesus não tem dois corpos, mas somente um. Então, não existem duas Igrejas, existe a Igreja. A Palavra diz que Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela. Assim sendo, a Igreja não pode ser vista como apenas uma organização. É um organismo vivo, a noiva do Senhor representada pelo povo de Cristo, santo, habitado e submisso, remido, para adorar em comunidade neste mundo, para a glória de Deus. É verdade que existem muitas congregações ou denominações, mas todos os salvos fazem parte da Igreja de Cristo, que é o Corpo do Senhor. Igreja é a morada de Deus. E somos essa morada. A razão de fazermos parte da Igreja é a de adorarmos o Senhor. Essa adoração inclui também o serviço em comunidade. Isso é algo que você precisa entender porque, caso contrário, você pode estar na igreja, ser membro dela, e mesmo assim nunca desfrutar de toda a realidade do que é ser Igreja do Senhor. A vida cristã é intensidade. Não somos religiosos. Creio que um dos desejos do coração de Deus é o de ter uma nova Igreja. Não só no sentido de gente nova, mas uma nova mentalidade de Igreja, composta de pessoas comprometidas, que amam o Senhor intensamente. E esse amor por Ele, por sua Palavra, pela Igreja, é algo muito forte, com raízes. A Palavra diz: “Plantados na casa do Senhor, florescerão nos átrios do Senhor” (Sl 92.13).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave