Servidores do Itamaraty fazem buzinaço durante almoço de chanceler

Grupo aproveitou evento para cobrar uma solução diante de atraso no pagamento do auxílio-moradia nos últimos meses de funcionários que atuam no exterior

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Enquanto o chanceler Luiz Alberto Figueiredo recebia 32 embaixadores estrangeiros em almoço nesta segunda-feira (10), buzinaço ecoou pelo Palácio Itamaraty por ao menos cerca de 40 minutos. Um grupo de servidores do Ministério das Relações Exteriores aproveitou o evento para cobrar uma solução diante de atraso no pagamento do auxílio-moradia nos últimos meses de funcionários que atuam no exterior.

Pela praxe, o pagamento do aluguel é feito pelo servidor, que recebe um reembolso da pasta. A pauta foi tratada na semana passada em encontro entre o Sinditamaraty (sindicato da categoria) e o ministro, mas assembleia da entidade realizada nesta segunda decidiu manter o protesto.

Na rampa de acesso ao edifício, cerca de 40 pessoas exibiam broches e cartazes pedindo uma solução, além de usarem buzinas para chamar atenção. "Presidente Dilma, a situação é crítica", dizia uma das faixas.

"O problema não é só esse. Os atrasos são históricos, e os servidores estão cansados dessa ameaça todos os meses", disse Sandra Nepomuceno Malta, presidente do sindicato. "Acho que incomodou lá", disse em referência aos convidados do almoço.

Os diplomatas estrangeiros entregaram à presidente Dilma Rousseff, pela manhã, suas cartas credenciais -documento que lhes permite atuar como representante de seu país em território nacional. Como a última cerimônia do tipo ocorreu em outubro de 2013, houve reclamação de parte do corpo diplomático pela demora no encontro com a presidente.

O Palácio do Planalto atribuiu à realização da Copa do Mundo no Brasil e das eleições a dificuldade em agendar a cerimônia.

Decreto

Uma decisão publicada nesta segunda (10) no Diário Oficial da União pode sanar, em breve, a questão dos atrasos. Decreto assinado por Dilma e pela ministra Miriam Belchior (Planejamento) autoriza crédito suplementar de R$ 693,3 milhões para as Justiças eleitoral e do trabalho, além de órgãos do Executivo.

Entre eles, o Ministério das Relações Exteriores. O Itamaraty foi contemplado com R$ 195,4 milhões, dos quais R$ 26,5 milhões são destinados ao "programa de gestão e manutenção do Ministério das Relações Exteriores".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave