Metalúrgicos suspendem greve e sindicato vai pedir aumento na Justiça

Para obter os 10%, o Sindicato vai pedir a instalação de dissídio coletivo contra a Embraer no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em assembleia ocorrida na manhã desta segunda-feira (10), os empregados da unidade da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, votaram pelo fim da paralisação iniciada, no último dia 6. O sindicato da categoria vai pedir na Justiça a concessão de aumento salarial de 10%.

Já a empresa argumentou que durante a assembleia sequer foi avaliada a proposta patronal, feita na semana passada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) de reajuste de 7,4% e que beneficiaria cerca de 10 mil funcionários da unidade. De acordo com o sindicato dos trabalhadores, o encerramento da greve foi motivado por pressões sofridas pelos empregados.

“Apesar de ainda não termos alcançado os 10% de reajuste, esta foi uma das maiores lutas dos metalúrgicos nos últimos anos. É importante deixar claro que a greve não acabou, apenas foi suspensa”, esclareceu o vice-presidente do Sindicato, Herbert Claros da Silva.

Para obter os 10%, o Sindicato vai pedir a instalação de dissídio coletivo contra a Embraer no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas. Além do reajuste, a categoria também reivindica redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, estabilidade no emprego e o pagamento dos dias parados durante a greve.

A Embraer informou que ainda está fazendo um levantamento dos prejuízos que, segundo a empresa afetou, pontos críticos da fabricação de aeronaves sem, no entanto, dar detalhes sobre as áreas paradas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave