Ex-Ferrari, Massa pode deixar italianos fora do top 3 de construtores

No atual Mundial, a Williams ocupa o terceiro lugar com 254 pontos, enquanto a escuderia italiana é quarta, com 210

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Brasileiro comemorou resultado, mas afirmou que ainda há muito por vir nesta temporada
Reprodução Facebook
Brasileiro comemorou resultado, mas afirmou que ainda há muito por vir nesta temporada

Felipe Massa correu por oito anos pela Ferrari até se transferir para a Williams nesta temporada. E agora, faltando apenas uma prova para o fim do campeonato, o brasileiro e a sua equipe podem deixar os italianos de fora do top 3 do Mundial de Construtores pela primeira vez em cinco anos.

A última vez que a escuderia ficou fora do pódio por equipes foi em 2009, quando terminou a temporada na quarta posição, atrás de Brawn, Red Bull e Renault.

No atual Mundial, a Williams ocupa o terceiro lugar com 254 pontos, enquanto a Ferrari é quarta, com 210. A escuderia italiana precisa somar muitos pontos na última etapa, em Abu Dhabi, no dia 23 de novembro, e torcer para a Williams não chegar entre os primeiros se quiser sonhar com o terceiro lugar na classificação.

Ficar no top 3 do Mundial de Construtores vale, além de uma quantia maior em dinheiro (a F1 não oficializa a premiação), um lugar na área mais nobre do paddock.

"Eu realmente acredito que podemos lutar pelo pódio novamente na próxima corrida. O carro é forte e competitivo", disse Massa após o GP Brasil.

A Ferrari ficou em terceiro lugar em três dos últimos quatro campeonatos -em 2012, foi a segunda colocada. Já a Williams não figura no top 3 dos construtores desde a temporada de 2003, quando ficou em segundo lugar.

Um dos triunfos para a Williams neste é justamente um engenheiro que trabalhou por sete anos com Massa na Ferrari, Rob Smedley, contratado pela equipe nesta temporada.

"Nós conseguimos assegurar alguns bons pontos e aumentamos a nossa vantagem sobre o quarto colocado. O carro está rápido e esta corrida [em Interlagos] provou isso", disse Smedley após o GP Brasil.