Não há racionamento, mas redução de pressão, diz dirigente Sabesp

Para o dirigente da Sabesp, os casos de desabastecimento são isolados devido a redução da pressão que faz com que a água demore a chegar em determinados locais

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Apesar das recentes chuvas em São Paulo, os níveis dos sistemas Cantareira e Alto do Tietê voltaram a cair no domingo (9). Com isso, o número de reclamações da falta de água na capital paulista e na região metropolitana de São Paulo têm aumentado. A Sabesp afirma que não há racionamento, mas redução na pressão de água.

"Não, não está tendo o racionamento. Não existe corte como foi falado, não existe nenhuma situação onde a Sabesp deliberadamente provoque condições. O que a Sabesp está fazendo é a gestão de pressão durante o período da noite. Diminuir a pressão", garantiu Marco Antônio Lopez de Barros, superintendente de produção de água da Sabesp em entrevista ao "Fantástico", da TV Globo na noite de domingo.

No domingo, o nível do sistema Cantareira atingiu 11,4% de sua capacidade -já contabilizando a segunda cota do volume morto. No sábado (8), o nível era de 11,5%. No Alto Tietê, o nível de volume armazenado era de 8,3%, contra os 8,4% de sábado.

Para o dirigente da Sabesp, os casos de desabastecimento são isolados devido a redução da pressão que faz com que a água demore a chegar em determinados locais.

"A gestão de pressão noturna foi intensificada este ano no período de gestão da crise. Pontualmente, alguns problemas podem surgir nos locais que têm um abastecimento menos favorável: pontos mais altos e mais distantes. Tem um monte de condições que partem desde problemas na rede de abastecimento, podem passar pelo ramal e até mesmo pelas instalações internas do cliente", destacou Barros.

Barros afirmou ainda que com as chuvas regulares nos próximos meses, o abastecimento está garantido até o fim de novembro de 2015. "É possível chegar até o final de novembro de 2015 em condições de atendimento."

No dia 5 de novembro, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse que vai aumentar a captação do Guarapiranga para ajudar a população que recebe água do Cantareira, que está com níveis críticos.

Leia tudo sobre: Abastecimentocrise hídricaáguaSão PauloSecaMananciaispressãoSabespcrise