Chuva provoca estragos e deixa Resende Costa sem água

Temporal atingiu a cidade no final da tarde desse domingo (9), destelhando casas e arrancando árvores; uma romaria também foi interrompida; danos à rede elétrica prejudica a captação de água para moradores

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

Conforme a prefeitura, cerca de dez famílias ficaram desalojadas
foto: Webrepórter
Conforme a prefeitura, cerca de dez famílias ficaram desalojadas

Um temporal destelhou casas e provocou estragos em Resende Costa, região Central de Minas, nesse domingo (9). A chuva começou de repente, por volta 17h30, não durou mais que 40 minutos, mas deixou pelo menos dez famílias desalojadas. Uma chuva de granizo também foi registrada.

De acordo com Secretária de Obras, houve quedas de diversas árvores, algumas delas arrancadas pela raiz. Uma, de grande porte, caiu no centro da cidade, onde era realizada uma romaria durante as festas de Nossa Senhora do Rosário. Várias barraquinhas e parte das mercadorias expostas foi levada pela enxurrada. Por sorte ninguém se feriu.

A cidade não conta com Defesa Civil. Na manhã desta segunda-feira (10), funcionários da Secretária de Obras fazem o levantamento dos estragos. "Não tenho como precisar o número exato de desalojados, mas eu creio que umas dez famílias. A Assistência Social vai fazer a contagem. Desabrigados nós não tivemos, porque o vento só arrancou as telhas das casas. Temos um pequeno córrego na cidade, mas também não houve transbordamento", disse o secretário Adelmar Aarão.

Ainda segundo a Prefeitura de Resende Costa, a cidade pode ficar sem água nesta segunda-feira. "A ventania danificou a rede elétrica, e, por conta disso, a energia que chega até as bombas de captação de água está cortada. Até ontem à noite (domingo), tinha água nos reservatórios, mas a gente não sabe até quando deve durar", explicou Adelmar. Técnicos da Cemig também trabalham para restabelecer o fornecimento.

Conforme o último boletim da Defesa Civil Estadual, quatro cidades de Minas foram atingidas pela chuva, mas apenas Carangola, na Zona da Mata, decretou situação de emergência.