Avô e neto morrem abraçados após queda de ultraleve em Teresina

Corpos foram localizados na manhã deste domingo (9) num local próximo à pista do aeródromo onde funciona o Clube de Ultraleve do Piauí

iG Minas Gerais | Da Redação |

O empresário Carlos Alves Brandão, 60, e seu neto Lucas Brandão, 5, morreram no final da tarde desse sábado (8) após um acidente de ultraleve em Teresina (PI).

Os corpos foram localizados na manhã deste domingo (9) num local próximo à pista do aeródromo onde funciona o Clube de Ultraleve do Piauí.

Os dois eram os únicos ocupantes da aeronave. Segundo policiais que participaram do resgate, o corpo do avô estava abraçado ao do neto nos destroços do avião.

"Suspeitamos que, sem possibilidade de fazer um pouso adequado, ele tenha abraçado o neto numa tentativa de protegê-lo", afirma o tenente Adolfo Veloso, do grupamento aéreo da Polícia Militar do Piauí.

Brandão era proprietário de uma concessionária de motos e costumava pilotar seu ultraleve nos finais de semana. Um dos fundadores do clube, era tido como um piloto experiente. Segundo a polícia, a aeronave caiu em uma área de mata fechada numa trajetória perpendicular ao chão. A principal suspeita é que o piloto tenha perdido o controle por causa de um possível problema mecânico do ultraleve.

Resgate

A aeronave decolou por volta das 17h do sábado (8) e deveria ter pousado antes do anoitecer. Membros do clube de ultraleve estranharam o atraso do retorno de Brandão e acionaram a polícia.

O grupamento aéreo iniciou uma operação de busca por volta das 5h deste domingo, e duas horas depois encontraram os destroços da aeronave, que se partiu ao meio.

Brandão e o neto tiveram fraturas múltiplas e não resistiram aos ferimentos. O resgate dos corpos foi feito com o auxílio de uma equipe do Corpo de Bombeiros.

A Polícia Técnica realizou uma perícia no local. Um boletim de ocorrência foi registrado pela polícia, que vai investigar as causas do acidente. 

Leia tudo sobre: avônetoabraçadoquedaultraleve