Sem diplomacia presidencial, as iniciativas perdem fôlego

Hussein Kalout professor de relações internacionais

iG Minas Gerais |

É visão predominante entre analistas de que a presidente Dilma deu pouca importância à área no primeiro mandato. Há alguma indicação de que isso mudará?

O Brasil acumulou ao longo das últimas duas décadas importante capital político nas relações internacionais, especialmente no governo Lula. No governo No governo Dilma, faltou intensidade ao principal vetor que impulsiona as grandes ações de política externa, que é a diplomacia presidencial. Qual tende a ser o principal elemento de continuidade da diplomacia de Dilma e qual o de maior ruptura?

O desafio de Dilma será consolidar uma política externa fundada em uma visão estratégica de longo prazo. Mas sem diplomacia presidencial, as iniciativas perdem fôlego.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave