Falta de segurança prejudica adesões

Um estudo encomendado pela instituição mostra que o comércio local tem uma proporção expressiva de estabelecimentos informais

iG Minas Gerais | Marco Corteleti |

As ações de capacitação na região do Alto Vera Cruz começaram neste ano e devem se estender até 2015. Essa é a previsão da analista do Sebrae Minas Márcia Valéria Machado. Segundo ela, até o momento 280 microempreendedores aderiram ao programa, número que ela considera pequeno em virtude do potencial da região, que conta com cerca de 700 empreendimentos de pequeno porte.  

Os motivos para a baixa adesão, segundo ela, têm a ver com a realidade local, que inclui falta de segurança e negócios clandestinos. “Como os cursos e palestras são ministrados à noite, muitos temem sair de casa nesse horário. Já outros que trabalham na informalidade não participam, pensando que o Sebrae atua como órgão fiscalizador do governo. Por isso, é necessário um trabalho de conscientização de longo prazo nessas comunidades”, afirma.

Um estudo encomendado pela instituição mostra que o comércio local tem uma proporção expressiva de estabelecimentos informais. “São negócios que surgem a partir da necessidade de sobrevivência de pessoas com pouca instrução formal e que, por isso, são geridos de maneira precária. O resultado é um alto índice de rejeição e mortalidade”, avalia Márcia Valéria. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave