Celular elimina candidatos

iG Minas Gerais | bernardo miranda |

O estudante Fábio Antônio Silva, 27, perdeu ontem a chance de conseguir uma bolsa do Programa Universidade para Todos (Prouni). Ele foi eliminado do Enem ao ser flagrado no detector de metais com um telefone celular – no Brasil, 65 candidatos foram eliminados por causa do telefone. Silva cursa engenharia em uma faculdade particular e fez o exame para conseguir o benefício.  

“Já havia acabado a prova e pedi para ir ao banheiro, pois não tinha acabado o horário de sigilo. Quando passaram o detector de metal, ele apitou porque estava com o celular no bolso. Não sabia que não podia ficar com ele. Pensei que era só desligar. Agora é continuar pagando a mensalidade por mais um ano”, lamentou.

Outra eliminada foi Érica Cruz, 35, que buscava uma vaga em serviço social. Ela estava fazendo a prova com lápis, o que é proibido. Grávida de três meses, ela se irritou porque mesmo desclassificada não podia deixar o campus uma vez que não havia terminado as duas horas de sigilo. Do lado de fora, o marido de Érica se irritou, ameaçou os seguranças e disse que jogaria o carro contra a entrada da universidade. Depois de muita discussão, a candidata foi autorizada pela coordenação a deixar o campus da PUC Minas.

Sem balanço. O Ministério da Educação informou que só fará o balanço dos presentes, eliminados e abstenção amanhã. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave