Presidência bate recorde de gastos com cartão corporativo

Em ano eleitoral, Secretaria de Administração já pagou, em dez meses, mais do que no ano passado inteiro

iG Minas Gerais | Do Aparte |

Brazil's President and Workers Party presidential candidate Dilma Rousseff, shows her electronic voting receipt that confirms she voted in the presidential runoff election as she drinks mate, an herbal tea, in Porto Alegre, Brazil, Sunday, Oct. 26, 2014. Rousseff is counting on Brazilians' gratefulness for a decade of progress to overcome concerns about a sluggish economy as the South American leader seeks re-election on Sunday after a bitter, unpredictable campaign. (AP Photo/Felipe Dana)
AP
Brazil's President and Workers Party presidential candidate Dilma Rousseff, shows her electronic voting receipt that confirms she voted in the presidential runoff election as she drinks mate, an herbal tea, in Porto Alegre, Brazil, Sunday, Oct. 26, 2014. Rousseff is counting on Brazilians' gratefulness for a decade of progress to overcome concerns about a sluggish economy as the South American leader seeks re-election on Sunday after a bitter, unpredictable campaign. (AP Photo/Felipe Dana)
Em um ano eleitoral, a Presidência da República já bateu o recorde de uso do cartão corporativo desde o início do governo Dilma Rousseff, mesmo faltando ainda dois meses para o fim do atual exercício. Os gastos contabilizados no âmbito da Secretaria de Administração da Presidência já são 16,2% maiores do que os realizados nos doze meses do ano passado. A continuar nesse ritmo o aumento na comparação com 2013 pode passar de 35% até o fim do ano.   Em 2014, de acordo com o Portal da Transparência do governo federal, a Secretaria de Administração da Presidência da República pagou R$ 6.555.146,97 por meio de cartões corporativos, que ficam de posse dos funcionários para uso em função. O cômputo inclui os cartões da presidente Dilma, protegidos legalmente por sigilo “para garantia da segurança da sociedade e do Estado” e de meia dúzia de assessores.    Em 2013, os cartões ligados à Secretaria de Administração desembolsaram R$ 5.641.884,70 em 12 meses. Nos anos anteriores, os gastos foram de R$ 4.114.348,66, em 2012; e R$ 5.234.119,05, em 2011.   É a primeira vez que a Presidência da República sob o comando de Dilma Rousseff gasta mais do que média do que ocorreu no governo Lula. Quando ele era o presidente, os cartões corporativos ligados à Secretaria de Administração pagavam, em média, R$ 5,6 milhões por mês. O único ano em que Lula gastou mais do que o 2014 de Dilma foi em 2004. Na ocasião, foram desembolsados R$ 7.812.132,11 ao longo de 12 meses. Os números deste ano caminham para algo próximo disso.   Procurada, a Presidência não se manifestou.

Leia tudo sobre: apartepresidentedilma rousseff