De cara limpa em ‘eu que amo tanto’

Em minissérie, Carolina Dieckmann vive personagem sem glamour ou maquiagem

iG Minas Gerais |

Carol vive um drama inédito na sua carreira, em nova produção da Rede Globo
Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z
Carol vive um drama inédito na sua carreira, em nova produção da Rede Globo

O jeito forte e decisivo de Carolina Dieckmann reflete diretamente nos personagens que interpreta. Mesmo com uma maioria de mocinhas no currículo, a atriz consegue imprimir personalidade e se apropriar das histórias de forma marcante. Por isso, ela foi uma das escolhidas pelas diretoras Amora Mautner e Joana Jabace para protagonizar “Eu que Amo Tanto”, do “Fantástico”, que estreia hoje.

Ao lado de Mariana Ximenes, Marjorie Estiano e Susana Vieira, Carolina entra para o rol de atrizes que toparam a proposta das diretoras: aparecer na TV de uma forma diferente do comum, sem glamour ou maquiagem. Baseado no livro homônimo de Marília Gabriela, a adaptação para a TV de Euclydes Marinho fala de mulheres que amam demais.

No episódio de estreia, Carolina dá vida a Zezé. Na infância, a personagem sofre um abuso sexual por parte de seu tio. Já adulta, cansada da vida doméstica com marido e filhos, Zezé conhece Osório (Antonio Calloni) e, com ele, desenvolve uma relação obsessiva. “É uma história muito forte. O sofrimento é intenso, dilacerante. Para mim, o que fica desse trabalho é aprender a respeitar o sofrimento”, diz. Cansada das traições do novo companheiro, Zezé vê o assassinato como a única solução para não precisar mais dividi-lo com ninguém. “Fiquei desesperada quando li a cena”, conta.

Sem nunca ter passado por essa situação na TV, ela conta que se inspirou em homens-bomba para desempenhar a cena com a verdade que ela pedia. “Ele se mata e mata um monte de gente porque enxerga que é o único jeito”, pontua.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave