Dona do jogo

Carolina Dieckmann fala sobre papel denso em “Eu Que Amo Tanto”, nova série do “Fantástico”

iG Minas Gerais | anna bittencourt |

Preparação. Além de algumas mudanças no visual, Carolina diz que mergulhou na obra homônima para viver o papel
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Preparação. Além de algumas mudanças no visual, Carolina diz que mergulhou na obra homônima para viver o papel

O jeito forte e decisivo de Carolina Dieckmann reflete diretamente nos personagens que interpreta. Mesmo com uma maioria de mocinhas no currículo, a atriz consegue imprimir personalidade e se apropriar das histórias de forma marcante. Por isso, ela foi uma das escolhidas pelas diretoras Amora Mautner e Joana Jabace para protagonizar “Eu Que Amo Tanto”, série do “Fantástico” que estreia hoje. Ao lado de Mariana Ximenes, Marjorie Estiano e Susana Vieira, Carolina entra para o rol de atrizes que toparam a proposta das diretoras: aparecer na TV de uma forma diferente do comum, sem glamour ou maquiagem. Baseado no livro homônimo de Marília Gabriela, a adaptação para a TV de Euclydes Marinho fala de mulheres que amam demais. “Estou nua, em carne viva”, dramatiza.  

No episódio de estreia, Carolina dá vida a Zezé. Na infância, a personagem, que será interpretada por Mel Maia, sofre um abuso sexual por parte de seu tio. Já adulta, cansada da vida doméstica com marido e filhos, Zezé conhece Osório, de Antonio Calloni e, com ele, desenvolve uma relação obsessiva. “É uma história muito forte. O sofrimento é intenso, dilacerante. Para mim, o que fica desse trabalho é aprender a respeitar o sofrimento”, pontua. Cansada das traições do novo companheiro, Zezé vê o assassinato como a única solução para não precisar mais dividi-lo com ninguém. “Fiquei desesperada quando li a cena”, conta. Sem nunca ter passado por essa situação na teledramaturgia, ela conta que se inspirou em homens-bomba para desempenhar a cena com a verdade que ela pedia. “Ele se mata e mata um monte de gente porque enxerga que é o único jeito. Não tem crítica ou julgamento, só amor e certeza”.

Carolina quis frequentar reuniões do Mulheres que Amam Demais Anônimas (Mada) para compor sua personagem, já que o grupo de apoio foi o principal combustível para Marília Gabriela escrever seu livro. “Mesmo que seja um trabalho pequeno, com oito minutos de duração, para mim, era importante entender esse sentimento avassalador”, explica. No entanto, só é possível ir à terapia de grupo quem for se expor nela. “Então, li o livro e me encontrei muito no texto. As cenas são muito diretas, muito vivas”, explica. Segundo a atriz, assim como ela, as mulheres, de forma geral, vão se reconhecer em “Eu Que Amo Tanto”. “Todo mundo já se descontrolou por amor. Eu, inclusive. Cada uma tem sua válvula de escape, sua temperatura. O grande desafio é não cair no excesso”, reflete. Além de toda a preparação externa, algumas mudanças na aparência também foram feitas. Além de escurecer o cabelo, a falta de maquiagem é uma característica marcante nos quatro episódios da série. O tom mais naturalista não incomodou a atriz. “Não podíamos estar diferentes para contar essa história. São mulheres que estão em carne viva, que não têm condições de se cuidar física ou mentalmente”, justifica.

Perfil

Nome completo: Carolina Dieckmann Worcman

Data de nascimento: 16 de setembro de 1978

Local de nascimento: Rio de Janeiro (RJ)

Signo: Virgem

Últimos papéis na TV: Iolanda de “Joia Rara” (2013), Jéssica de “Salve Jorge” (2012), Teodora de “Fina Estampa” (2011), Diana de “Passione” (2010), Suzana de “Três Irmãs” (2008), Leona de “Cobras & Lagartos” (2006), Isabel de “Senhora do Destino” (2004), Julia de “Da Cor do Pecado” (2004)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave