Sada Cruzeiro atropela o Taubaté, faz 3 a 0, e se firma na liderança

Em tarde inspirada do ataque, a equipe mineira não deu chances para os paulistas, em Contagem

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Sada Cruzeiro venceu última partida e entrará com tudo diante do São Bernardo-SP
ALEXANDRE ARRUDA - CBV
Sada Cruzeiro venceu última partida e entrará com tudo diante do São Bernardo-SP

O que era uma decisão de liderança pareceu mais um jogo treino para o Sada Cruzeiro, na tarde deste sábado, no Ginásio do Riacho, em Contagem. Depois de um chocolate de 25 a 9 sobre o Funvic-Taubaté-SP, já no primeiro set, os mineiros se apoiaram na concentração e no volume de jogo para despachar os paulistas por 3 a 0 (25/9, 25/21 e 25/16) e disparar na liderança da Superliga com 12 pontos. Os visitantes – que jogaram desfalcados do levantador Rapha e do central Sidão – permanecem em segundo lugar, com 8.

 

“Jogamos muito bem no saque e no ataque, e é isso que fez a diferença”, avaliou o técnico Marcelo Mendez. Para ele, a boa partida da equipe na defesa, recuperando bolas importantes, veio do serviço. “O saque é fundamental e tivemos uma noite muito boa”, pontuou.

Isso ficou claro no começo avassalador do Sada no primeiro set. Três aces seguidos de Leal desestruturaram o Taubaté e fizeram o time da casa abrir 8 a 1 na primeira parcial técnica. Já a equipe paulista errava muitos saques, deixando os mineiros jogarem sem pressão. O bloqueio do Sada chegava em todas as bolas, Wallace virava todas as suas com facilidade, e o placar na segunda parcial já era 16 a 5, após uma belíssima defesa de Filipe. A partir daí, os mineiros só encaminharam a vitória por 25 a 9, com um ataque de Wallace fechando o set em um dos melhores ralis da partida.

O Taubaté mostrou a que veio no segundo set, que começou bem mais equilibrado. Os paulistas adotaram um saque tático, desacelerando o passe do Sada, que voltou menos agressivo, resultando em um 8 a 6 para os visitantes na primeira parcial. A linha de passe do Taubaté, que não havia funcionado no primeiro set, quase não errou. Com isso, o bloqueio do Sada, que havia amortecido quase todas as bolas na parcial anterior, perdeu o tempo das jogadas do adversário, e os paulistas mantiveram a vantagem em 16 a 14 na segunda parada técnica.

Sem perder a calma, porém, os mineiros se apoiaram no volume de jogo e e na qualidade de seu ataque, diminuindo os erros e conseguindo a virada em 20 a 19. O revés desconcentrou o Taubaté. Em um bloqueio, Lorena, perseguido pela torcida do Sada desde o início da partida, encostou a mão na rede e levou um cartão amarelo por reclamação. Após uma sequência de saques de Filipe, os donos da casa abriram 24 a 20 e fecharam o set em 25 a 21.

O terceiro set também começou equilibrado. Mas o Sada consertava as falhas na recepção e na defesa com um ataque implacável e chegou na primeira parada com 8 a 7. O passe foi melhorando e, se o bloqueio não dava as caras, a defesa fazia a diferença. William fintava bem a rede do Taubaté e, em mais uma noite de química perfeita com Wallace, fez os mineiros abrirem 17 a 13.

O Taubaté passou a apostar tudo no saque. Mas a pressão de virar o placar contra a concentração do Sada acabou definindo a partida. Os paulistas passaram a errar muito o passe e, numa falha de recepção adversária, os donos da casa fecharam a parcial em 25 a 16.

“O diferencial da nossa equipe é que a gente não desiste nunca”, afirmou Wallace, eleito o melhor jogador em quadra. Para o oposto, o placar elástico do primeiro set foi um resultado atípico e foram os dois últimos que definiram o resultado. “Quando a gente está jogando atrás continua com a mesma agressividade e com o mesmo ritmo, e é isso que define o time”, analisou.

A nota ruim ficou por conta do ponteiro David, do Taubaté, que rompeu os ligamentos de uma das mãos após levar uma bolada.

Leia tudo sobre: Sada CruzeiroSadafuebol