Postos abrem para início da vacinação contra pólio e sarampo

No caso da vacina oral e da vacina injetável contra a pólio, reações são consideradas raras e, no caso da vacina contra o sarampo, reações incluem febre ou dor no local da aplicação

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A imunização contra a poliomielite e o sarampo segue até o dia 28 de novembro.
Arquivo Agência Brasil
A imunização contra a poliomielite e o sarampo segue até o dia 28 de novembro.

Mais de 100 mil postos de saúde em todo o país abrem neste sábado (8) para o início da campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. A imunização segue até o dia 28 deste mês.

No caso da poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, devem ser vacinadas crianças de 6 meses até 5 anos incompletos. A expectativa do governo é imunizar mais de 12,7 milhões de crianças.

Já na vacinação contra o sarampo, a faixa etária indicada é de 1 ano até 5 anos incompletos. A estimativa é vacinar 10,9 milhões de crianças. A vacina tríplice viral protege, além do sarampo, contra a caxumba e a rubéola.

O governo garante que as doses são seguras e recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No caso da vacina oral e da vacina injetável contra a pólio, as reações são consideradas raras e, no caso da vacina contra o sarampo, as reações incluem febre ou dor no local da aplicação.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança, quando infectada, não morre, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso e provocam paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores.

Já o sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns incluem febre alta, tosse, manchas vermelhas, coriza e conjuntivite. A transmissão acontece de pessoa para pessoa por meio de secreções expelidas ao tossir, falar ou respirar. A única forma de prevenção da doença é a vacinação.

AGÊNCIA BRASIL 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave