Marcelo Oliveira

Técnico do Cruzeiro

iG Minas Gerais |

É um desafio mobilizar os jogadores para o jogo contra o Criciúma, às vésperas de uma decisão nacional contra o maior rival?

O desafio é um trabalho nosso, de nos mobilizarmos para o jogo do Brasileiro. Faltam seis rodadas e esse jogo também tem todas as características de uma decisão, por mais que haja esse movimento e essa emoção por causa da decisão inédita contra o maior rival. Nós estamos respirando o jogo contra o Criciúma e com respeito.

Dá para focar apenas o Campeonato Brasileiro?

Como vocês gostam de dizer, temos que mudar o chip. Esse chip novo vai dizer que, no Brasileiro, faltam seis rodadas, e que precisamos sustentar liderança e fazer o dever de casa contra o Criciúma. Até porque, depois do jogo contra o Criciúma, faremos dois jogos difíceis fora de casa.

Por que Cruzeiro e Atlético estão com tanta evidência no futebol nacional?

É uma combinação de aspectos. São dois clubes tradicionais e de grande torcida. Clubes que têm estádio próprio para mandar jogos, têm estrutura física boa, que estão entre as três melhores do Brasil. E isso gera receita para montar bons times. Aliado a isso, estão administrações seguras.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave