Na batida eletrônica

iG Minas Gerais | Da Redação |

Duo mineiro Dirtyloud reforça o line-up do Net Festival
Divulgação
Duo mineiro Dirtyloud reforça o line-up do Net Festival
Mais restrita em Belo Horizonte a boates e festas dedicadas ao estilo, a música eletrônica estará mais acessível ao público da cidade no próximo sábado (15). Em formato semelhante aos festivais do exterior, onde o estilo é mais difundido, o Net Festival chega à Esplanada do Mineirão com uma programação que vai das 13h à meia-noite e traz uma série de atrações nacionais e internacionais.   Formado por Marcus Vinícius Campos e Eduardo Nascimento e considerado o maior expoente da música eletrônica brasileira, o duo mineiro Dirtyloud terá a missão de encerrar o festival com seu som mais puxado para um gênero da e-music muito presente em seu repertório. “Com certeza, será um desafio porque todos vão estar cansados de tanto pular com os outros shows. Vamos chegar com a obrigação de fazer melhor para a galera gostar”, conta Marcus Vinícius. Atualmente, o artista viaja sozinho pelo Brasil e toca com o parceiro Eduardo apenas em apresentações especiais, como esta em Belo Horizonte.   Entre os outros shows do Net Festival, destaque para os holandeses Afrojack e Nicky Romero. O primeiro foi premiado com um Grammy por uma música que fez com David Guetta e já trabalhou com outros artistas de peso como Madonna, Chris Brown, Beyonce e Pitbull. Romero também tem carreira repleta de parcerias notáveis – incluindo o mesmo David Guetta, além ter produzido músicas para Britney Spears e Rihanna – e foi considerado no ano passado o sétimo melhor DJ do mundo pela “DJ Magazine”, importante revista britânica dedicada à música eletrônica.    Já acostumado com esse tipo de festival devido às turnês do Dirtyloud realizadas no exterior, Marcus Vinícius comenta com alegria a oportunidade de tocar na cidade em um festival de grande porte: “É uma vitrine, atinge muita gente e contribui para a divulgação da música eletrônica. É sempre muito bom quando trazem artistas de expressão, mais famosos”. Além disso, ele destaca o fato de o festival ser em espaço aberto: “A energia é um pouco melhor, às vezes em uma boate as pessoas podem estar mais fechadas”. Oportunidade semelhante o Dirtyloud teve no ano passado, quanto se apresentou no Lollapalooza, em São Paulo.   Como é típico da música eletrônica, as atrações do Net Festival devem fazer apresentações regadas a muito improviso. “Às vezes, fazemos uma seleção, uma sequência, mas uma hora ou outra temos que sair dela dependendo do retorno da pista”, explica Marcus Vinícius, cujo trabalho ao lado de Eduardo chamou a atenção até de Shakira, que os contratou para produzirem algo também muito próprio da música eletrônica: um remix. A canção “Dare (La La La)”, música tema da Copa do Mundo deste ano, foi remixada pelo Dirtyloud e aprovada pela popstar.   Além do Dirtyloud e dos holandeses Afrojack e Nicky Romero, outros quatro DJ’s completam o line-up do Net Festival: Carlos Kroeff, mineiro residente do Café de La Musique BH e mais dedicado ao house music; Rafael Carvalho, paranaense que faz um som dançante misturando techno com muito groove; Alok Petrillo, nascido no Distrito Federal e também admirador da vertente do techno; e Bobby Burns, outro holandês de sucesso, que inclusive realiza parcerias com o conterrâneo Afrojack.   Net Festival 2014 Esplanada do Mineirão (Avenida Antônio Abrahão Caram, 1001, Pampulha, 2532 – 8201). Sábado (15), a partir das 13h. R$ 200 (pista, 2º lote, inteira) e R$ 320 (pista premium, 2º lote, inteira). 16 anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave