Homem é condenado por morte de criança ocorrida em 2010 em São Paulo

Motivos para o crime não foram revelados; durante o processo, o acusado apresentou diversas versões sobre o que poderia ter acontecido

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Deyves Gregório da Cruz Miranda, de 33 anos, foi condenado nesta quinta-feira (6) a 45 anos e 4 meses de prisão pela morte de Pâmela Bianca Ezequiel da Silva, 9, em 2010, em Araraquara (a 273 km de São Paulo).

A pena, que deverá ser cumprida em regime fechado, foi resultado do julgamento por três crimes: homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e coação no curso do processo.

Os motivos para o crime não foram revelados. Durante o processo, o acusado apresentou diversas versões sobre o que poderia ter acontecido. Porém, no julgamento, Miranda permaneceu calado. Segundo o promotor Herivelto de Almeida, tanto a mãe da vítima - cujo nome não foi revelado - quanto Miranda afirmaram que a garota foi levada até à casa dele para que ela ficasse mais tempo no bar. O crime ocorreu em outubro de 2011 e o acusado foi preso em fevereiro de 2011.

A mãe de Pâmela perdeu o direito de criar os outros filhos, mas não foi presa. O promotor afirmou que não houve provas que permitissem vinculá-la ao homicídio. "Aparentemente, ela foi negligente, mas não responsável pelo crime", disse.

Versões. Durante a investigação do caso, o homem chegou a levar cerca de cem policiais a um matagal próximo à Chácara Flora, no objetivo de achar o corpo. Porém, nada foi encontrado.

Na reconstituição, o condenado chegou a indicar outro local, mas o corpo não foi localizado. O homem foi encaminhado à Penitenciária de Serra Azul (a 302 km de São Paulo), local que abriga, principalmente, presos por crimes sexuais.

O defensor público Antônio Fernando Massut, apontado pelo Ministério Público como representante na defesa de Miranda, não foi encontrado nesta sexta-feira (7) para falar sobre o assunto.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave