Comércio deve contratar 138 mil temporários até o fim do ano

De modo geral, 34,3% dos empresários entrevistados procuram profissionais que têm entre 25 e 34 anos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Aproximadamente 138,9 mil vagas de empregos temporários devem ser preenchidas até dezembro, segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O estudo mapeou o perfil dos trabalhadores que ocupam essas vagas e são procurados pelo comércio no período das festas de final de ano. 

De acordo com a pesquisa, a média de trabalhadores contratados é de 2,98 funcionários por empresa. "As festas de fim de ano costumam movimentar praticamente todos os setores da economia, mas o varejo chama a atenção por concentrar cerca de 66% das vagas temporárias geradas em todo o país neste período", explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. Ao todo, foram entrevistados 623 empresários em todo o país para a coleta das informações da pesquisa.

Perfil do temporário. De modo geral, 34,3% dos empresários entrevistados procuram profissionais que têm entre 25 e 34 anos, seguidos pela faixa etária de 18 a 24 anos (28,5%). Quanto à qualificação, a maioria dos comerciantes buscam funcionários que possuam ensino médio, no mínimo. 75,6% das vagas serão oferecidas para as funções de vendedor de loja e balconista. Em seguida, aparecem as oportunidades para caixas 31,8%) e estoquistas repositores (24,6%).

O estudo também procurou identificar as habilidades mais valorizadas na hora de contratar um temporário. Praticamente cinco em cada dez (48,9%) comerciantes citaram o dinamismo (48,9%), responsabilidade (37,8%) e boa comunicação (28,9%) como as características mais importantes para preencher um posto no varejo.

Baixo crescimento. Entretanto, os dados mostram que a atividade do comércio no país está sofrendo com os efeitos do baixo crescimento. "79,4% dos varejistas consultados acreditam que o número de contratações temporárias não deve crescer em 2014, em comparação com 2013, o que deixa explícito a baixa confiança do empresariado brasileiro", avalia Kawauti.

Além disso, segundo a economista, 68,5% dos empresários não pretendem efetivar os temporários depois do vencimento do contrato. "Vale pontuar que para 62,2% dos entrevistados, as contratações devem durar, em média, três meses", ressalta.

Carga horária e remuneração. Sete em cada dez varejistas (71,4%) procuram funcionários com disponibilidade para trabalhar entre 6 e 8 horas diárias. Já com relação à remuneração, mais da metade (57,4%) do empresariado deve pagar, em média, até um salário mínimo por mês para cada empregado, enquanto que 24,4% afirmam ter intenção de pagar dois salários mínimos. De acordo com a pesquisa, os pagamentos no comércio devem ocorrer por meio de salários e benefícios (32,8%) ou por salários e comissões (31,0%).

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave