Bandidos roubam 320 mil de empresa de segurança

Um dos suspeitos era funcionário da própria empresa, o outro era pastor auxiliar em uma igreja evangélica

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

A Polícia Civil prendeu dois homens suspeitos de roubarem dinheiro de uma empresa de segurança na região da Pampulha, em outubro deste ano. Na época, a dupla conseguiu levar uma quantia de mais de R$ 320 mil, que tinha sido arrecadada pela bilheteria de um jogo de futebol disputado no Mineirão, entre Cruzeiro e Internacional, e que pertencia ao clube mineiro. Um dos suspeitos era funcionário da própria empresa. Já o outro, era pastor auxiliar em uma igreja evangélica. Os dois estão presos, desde o dia 29 de outubro, no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) da Gameleira e foram apresentados à imprensa na manhã de ontem.

Segundo Talita Martins, delegada responsável pelo caso, Daivson Ribeiro Silva, de 35 anos, trabalhava como supervisor de pessoal e era o responsável por levar a quantia da bilheteria do Mineirão até a empresa de segurança. Em parceria com Alessandro Afonso da Silva, de 41 anos, ele teria simulado um assalto ao carro blindado usado para transportar o dinheiro.

Após o jogo, no dia 4 de outubro, Silva e o motorista do veículo saíram do Mineirão levando a quantia em dois malotes. Porém, ao chegarem na garagem da empresa, eles foram abordados por Alessandro, que estava armado. O motorista do veículo chegou a ser agredido durante a ação, já Silva foi obrigado a entrar no carro do assaltante, levando o dinheiro. Segundo a delegada, o auxiliar de pessoal chegou a procurar a polícia, afirmando que, após o assalto, ele teria sido abandonado pelo bandido em Contagem, na região metropolitana.

Investigações

A Polícia Civil começou a investigar o caso no dia 19 de outubro. Através de imagens de câmeras de segurança da própria empresa, foi possível identificar Alessandro que, além da arma, também estava com uma bíblia nas mãos. Através das imagens, a polícia também começou a suspeitar que Silva poderia ter algum envolvimento com o crime, já que ele foi tratado de forma diferenciada pelo bandido e, inclusive, teria facilitado a ação do assaltante. “Ele estava em um carro blindado, com os vidros fechados, por isso, poderia ter acelerado o carro e tentado fugir. Porém, ele desceu do veículo e abriu os vidros para o assaltante. Além disso, o bandido foi violento apenas com o motorista”, afirmou a delegada.

Através de monitoramentos dos perfis da dupla em redes sociais, a polícia descobriu que Silva e Alessandro eram amigos de infância e tinham trabalhado juntos em uma empresa de transportes. Os dois foram presos no dia 29 de outubro e, com eles, a polícia encontrou a quantia de R$150 mil. Segundo os assaltantes, o restante do dinheiro teria sido doado a uma igreja evangélica e usado para pagar dívidas.

Outros crimes

A Polícia Civil vai investigar se a dupla tem envolvimento em outros crimes, já que outras empresas onde eles trabalharam também teriam sido vítimas de roubos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave