Desmatamento na Amazônia em agosto e setembro cresce 122%

Devastação na Amazônia disparou nos dois meses, devastando 1.626 km² de florestas; as análises mensais do sistema de alertas serão divulgadas na tarde desta sexta em Brasília

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Natureza. A floresta Amazônica é cortada para dar lugar a uma mina de ouro ilegal, em imagem de 2009
Andre Penner/ap - 15.9.2009
Natureza. A floresta Amazônica é cortada para dar lugar a uma mina de ouro ilegal, em imagem de 2009

Análises mensais do sistema de alertas de desmatamento do Deter, concluídas desde 14 de outubro no Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) e que tiveram sua divulgação adiada para não prejudicar as eleições, serão divulgadas na tarde desta sexta-feira (7) em entrevista coletiva na sede do Ibama, em Brasília. As análises revelam um crescimento de 122% de devastação da floresta nos meses de agosto e setembro deste ano. As informações são do jornal "Folha de São Paulo".

O resultado das análises foi encaminhado no dia 24 de outubro pelo diretor do Inpe, Leonel Fernando Perondi, ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

De acordo com o instituto, o desmatamento na Amazônia disparou nos dois meses, devastando 1.626 km² de florestas, registrando um crescimento de 122% em relação aos mesmos dois meses do ano passado.

O desmatamento registrado em agosto chegou a 890,2 km ², um salto de 208% sobre os 288,6 km² do mês em 2013. Já em setembro, foram 736 km², um aumento de 66% a mais que o mesmo mês no ano passado.

Segundo informações no próprio site no Inpe, a divulgação das análises são feitas mensalmente desde maio, quando há menos nuvens para atrapalhar o registro das imagens que são feitos via satélite. Neste ano eleitoral, não houve divulgação do relatório nos dois meses anteriores à votação.