Falsos policiais federais são presos ao invadir prédio de luxo

Ao todo, cinco criminosos foram presos pela PM; quatro deles vestiam coletes falsos da PF e um deles, vestindo terno, identificava-se como delegado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Polícia Militar prendeu na noite de quinta-feira (6), em Santo André, na Grande São Paulo, cinco criminosos disfarçados de policiais federais. Quatro deles vestiam coletes falsos da PF e um deles, vestindo terno, identificava-se como delegado.

Segundo a polícia, os indivíduos renderam um motorista, por volta das 19h, no centro da cidade. Ele foi levado para o carro do bando e obrigado a guiá-lo até um condomínio de luxo, onde mora.

Ao chegarem ao edifício, o homem vestindo terno se aproximou da guarita e pediu para entrar, alegando possuir um mandato judicial de apreensão. O porteiro informou o síndico sobre a situação, e este permitiu a entrada.

Enquanto dois bandidos rendiam o porteiro e o síndico, os demais entraram no apartamento da vítima para recolher objetos de valor.

Percebendo a movimentação estranha, a esposa do síndico acionou a polícia. Após cinco minutos, um efetivo de cerca de 20 policiais cercou o prédio e começou as negociações na portaria.

Um dos bandidos saiu para avisar o restante do grupo enquanto outro tentou convencer a PM de que era policial federal. Porém, ao avistar a PM pulando o muro para entrar no edifício, correu para dentro. O porteiro e o síndico puderam abrir a entrada para os policiais.

Um dos integrantes foi pego nas escadas e os demais foram encontrados na garagem, tentando fugir. O morador foi feito refém e, após cerca de 45 minutos de negociação, os bandidos se renderam. Não houve disparo nem agressão às vítimas.

Ainda de acordo com a PM, outro carro fazia cobertura para os criminosos, mas fugiu antes de a polícia chegar.

Os bandidos carregavam duas pistolas 380 e duas armas falsas. Dos cinco integrantes da quadrilha, quatro já tinham passagem pela polícia por roubo. O veículo em posse dos sequestradores era roubado.

Os cinco homens foram levados ao 1º DP de Santo André, onde o caso será registrado.