No sacrifício pela China Azul

Willian jogou muitas vezes com problema físico, mas superou as dores para ajudar a equipe celeste

iG Minas Gerais | Bruno Trindade |

Identificação. Willian teve moral com a torcida azul logo em sua chegada e virou o Bigode Grosso celeste
Denilton Dias – 28.10.2014
Identificação. Willian teve moral com a torcida azul logo em sua chegada e virou o Bigode Grosso celeste

Ele chegou como moeda de troca na venda de Diego Souza para o futebol ucraniano. Uma vaga lembrança dos tempos de Figueirense e Corinthians o credenciava a fazer parte do elenco, mas sem muita expectativa. Porém, bastaram poucos jogos para que Willian caísse nas graças dos torcedores e virasse uma das referências na equipe.  

Mais do que ser importante em alguns jogos, o meia-atacante foi decisivo nos grandes confrontos, como nas duas partidas das semifinais contra o Santos, em que marcou três dos quatro gols que deram ao Cruzeiro a possibilidade de disputar mais uma final da Copa do Brasil.

A bela atuação, os dois gols e a revelação de que estava jogando há algum tempo no sacrifício certamente deixarão os torcedores do Cruzeiro ainda mais fãs do atacante Willian. No desembarque do elenco, no aeroporto de Confins, o avante do bigode era um dos mais festejados pela China Azul, que gritava o nome dele e fez de tudo para uma foto e um contato mais próximo com o jogador.

Cercado por seguranças, torcedores e imprensa, o camisa 25 preferiu focar a contribuição que ele deu para o time. “Herói é Deus. Eu fico muito feliz por ter honrado o time. Fiz de tudo para ajudar o Cruzeiro a conseguir a classificação”, disse.

Depois de ser uma figura discreta na maior parte da temporada, o atleta mostrou que vem recuperando o bom futebol, que o tornou um xodó da China Azul em 2013. Muito da má fase atravessada pelo jogador foi pelo fato de ele atuar no sacrifício físico, conforme revelou o diretor de futebol cruzeirense, Alexandre Mattos.

“Ninguém sabe disso. E o momento de falar é agora, e não era naquele momento (da má fase de Willian), senão ia parecer que era uma desculpa. Ele vinha sofrendo com dores no púbis. O Willian foi vetado várias vezes pelo nosso departamento médico. Ele foi muito homem e soube passar por cima disso”, revelou Mattos.

“No momento em que o Cruzeiro mais precisou dele, por causa de convocações e lesões de jogadores, ele acabou atendendo um pedido nosso de estar em campo. Com muitas dores, ele não conseguiu render e a gente ouvia críticas. Mas nós sabíamos que ele ia se recuperar e ser aquele Willian que conhecemos”, completou Mattos.

Willian disse estar melhor das dores que tanto o incomodaram. “Me senti muito bem, não doeu muito. Estou me sentindo superbem, me preparei muito para junto com os companheiros e conseguimos a classificação”, afirmou.

Segundo os médicos da Raposa, o problema no púbis já não é tão sério. O que mais incomoda o atleta hoje é a costela fraturada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave