Falta de medicamentos preocupa parlamentares

Rodinei Ferreira reivindica soluções para a ausência de remédios nas farmácias distritais; secretário de Saúde explica situação e afirma que problemas serão sanados

iG Minas Gerais |

Melhorias. 
Vereadores se reuniram com o secretário de Saúde
Divulgação
Melhorias. Vereadores se reuniram com o secretário de Saúde

A falta de medicamentos nas farmácias distritais de Contagem está preocupando a população que reivindica melhorias na área.

Na última terça-feira (4), o vereador Rodinei Ferreira (PT), em plenária, na Câmara de Contagem, fez um relato das visitas realizadas por ele nos setores de saúde no município.

O parlamentar esteve na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do bairro Retiro e em várias farmácias distritais da região de Várzea das Flores. Durante as visitas, Rodinei verificou problemas no atendimento e nas condições de trabalho dos profissionais da saúde. “Nas farmácias distritais vários medicamentos estão em falta há mais seis meses, um absurdo a falta de respeito com os cidadãos e cidadãs de Contagem”, relatou indignado.

Durante o discurso, o petista foi interrompido várias vezes por outros vereadores que aprovaram a atitude e também fizeram relatos e cobranças para solucionar o problema.

Os membros da Comissão de Saúde da CMC fizeram um convite ao secretário de Saúde, Evandro José Silva, que prontamente aceitou.

Na ocasião, Evandro admitiu que o problema existe e explicou que a causa da falta de medicamento no município deve-se ao atraso na renovação de contratos que não foram firmados e que no prazo de 30 dias o problema será solucionado.

O secretário ainda afirmou que a cesta de medicamentos é composta por 209 itens, e destes somente 53 estão em falta nas farmácias distritais.

Educação

Além dos problemas na área da saúde, Rodinei também denunciou a precariedade de algumas escolas.

O caso mais grave apontado pelo parlamentar é o da Escola Municipal Ápio Cardoso, em Nova Contagem, onde o diretor está licenciado e as duas vice-diretoras pediram exoneração.

“Nesta escola o telhado já está comprometido, e existem problemas nas redes elétrica e hidráulica onde a água escorre causando desperdício. Estamos passando por um momento de racionamento e escassez de água. O município tem que fazer a sua parte, a manutenção dos prédios públicos é um exemplo. Vou continuar o meu trabalho de fiscalização”, conclui o vereador.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave