Da América do Sul à Coreia

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

Japchae é o nome do prato coreano que leva macarrão de batata-doce, legumes e cogumelos feitos no óleo de gergelim
Lilian Parreiras Martins / acervo pessoal
Japchae é o nome do prato coreano que leva macarrão de batata-doce, legumes e cogumelos feitos no óleo de gergelim

Usada pelos ameríndios bem antes de os europeus chegarem por aqui, a batata-doce foi levada à Espanha no século XVI e, a partir de lá, chegou a paragens tão distantes como o extremo Oriente. Na Coreia do Sul, por exemplo, dá as caras em forma de macarrão, que, cozido e refogado com verduras, cogumelos e óleo de gergelim, dá origem ao prato Japchae (lê-se chap-tché). No Brasil, ele é servido em poucos restaurantes, como o Portal da Coreia, no bairro da Liberdade, em São Paulo.

De aspecto interessante, por ser transparente, a massa ainda não chegou aos cardápios belo-horizontinos, mas já foi preparada por aqui: a blogueira mineira Lilian Parreiras Martins ensina a receita no blog Quer Aprender a Cozinhar?, em que revisita pratos que ela conheceu quando morou na Coreia. “O macarrão tem uma textura bem diferente, meio ‘borrachenta’ e levemente elástica. É difícil de mastigar e não tem gosto de batata-doce, é neutro”, revela a blogueira.

Segundo ela, a massa aparece em várias outras receitas, como sopas e guisados, e pode chegar à mesa fria ou quente, tanto como prato principal, quanto como acompanhamento. Lilian afirma que ainda não encontrou o macarrão para comprar em Belo Horizonte – para prepará-lo, buscou no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, conhecido por ser reduto de sul-coreanos no país.

Assim como no Brasil, as propriedades fitness da batata-doce também fazem sucesso do outro lado do mundo. “Na Coreia, na rua, é comum ver pessoas, principalmente meninas, comendo batata-doce cozida, como um lanche saudável”, comenta Lilian. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave