Benefícios à saúde

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

Criação da nutricionista e chef Pâmela Sarkis, a maionese vegana de batata-doce com cenoura e salsão pode ser acompanhamento ou prato principal
Mariela Guimarães
Criação da nutricionista e chef Pâmela Sarkis, a maionese vegana de batata-doce com cenoura e salsão pode ser acompanhamento ou prato principal

A moda da batata-doce entre os frequentadores de academia não é injustificada: ela realmente ajuda no ganho de massa muscular e tem vantagens nutricionais que fazem jus à fama, como poderes antioxidantes, desintoxicantes e antiinflamatórios.

Segundo a nutricionista Pâmela Sarkis, o alimento é uma ótima fonte de carboidratos e fibras para quem faz exercício físico. Enquanto a presença de fibras ajuda no equilíbrio do intestino e garante a sensação de saciedade por bastante tempo, o carboidrato complexo, de absorção mais lenta pelo organismo, faz dela um produto de baixo índice glicêmico, que solta açúcar no sangue em um ritmo mais fraco, sem causar picos.

“Por isso, é recomendada cozida para diabéticos e também para o ‘pré-treino’. Para o ‘pós’, o ideal é ingerir com uma proteína, como em uma omelete de claras, para a recuperação muscular. Quem quer emagrecer pode substituir outros carboidratos, como o pão ou arroz, pela batata-doce. Com queijo e azeite, de lanche, cai muito bem”, afirma a profissional.

A pedido do Gastrô, ela preparou uma salada vegana de batata-doce, com maionese de amêndoas, salsão e cenoura. “A salada pode ser um ótimo acompanhamento para um frango grelhado, por exemplo. Mas também pode ser servida como uma refeição completa para os vegetarianos”, diz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave