Semana de leilões em Nova York têm recordes para Modigliani e Manet

Obra de Amedeo Modigliani é vendida por US$ 70 milhões; pintura do artista francês francês Edouard Manet foi leiloada por US$ 65 milhões

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Quadro de Edouard Manet é um retrato da atriz Jeanne Demarsy passeando com seu guarda-sol
AFP
Quadro de Edouard Manet é um retrato da atriz Jeanne Demarsy passeando com seu guarda-sol
Seis anos depois do início da crise econômica que arruinou o mercado de arte, a Sotheby's fez a maior venda de sua história em Nova York na última terça (4), totalizando US$ 422 milhões em vendas, entre elas um recorde para o artista Amedeo Modigliani, que teve uma escultura vendida por US$ 70,7 milhões. Além de "Tête", obra de 1911 de Modigliani, outra obra, uma escultura do suíço Alberto Giacometti, quase bateu o recorde do artista. "Chariot", escultura de 1950, foi vendida por US$ 101 milhões, pouco menos que os US$ 104,3 milhões pagos por sua "Walking Man I", há quatro anos.   Na noite de quarta (5), a casa de leilão Christie's vendeu em Nova York a tela "A Primavera" ("Le Printemps"), do impressionista francês Edouard Manet (1832-1883), por US$ 65 milhões, batendo um novo recorde para o artista. Até então, preço máximo para uma obra dele era de US$ 33 milhões. A tela de 1881, um retrato da atriz Jeanne Demarsy, foi disputada por seis potenciais compradores e acabou sendo arrematada pelo Museu J. Paul Getty, de Los Angeles.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave