Sérgio Danilo mostra repertório de disco que deve sair em 2015

Saxofonista e flautista é um dos vencedores do XIV prêmio BDMG Instrumental e se apresenta hoje

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |


Em show, Sérgio Danilo recebe no palco o pianista Fábio Torres
ELCIO PARAISO
Em show, Sérgio Danilo recebe no palco o pianista Fábio Torres

Há cerca de três anos, Sérgio Danilo vem escrevendo algumas músicas. Com duas delas, “Zim Gui Gui” e “Cromatismo Craniano”, ele inclusive venceu o XIV prêmio BDMG Instrumental. Convidado para encerrar a temporada deste ano do programa, o músico vai mostrar essas e outras canções autorais no show que realiza hoje na Fundação de Educação Artística.

Ao lado de Fábio Torres, ele acrescenta que deve também interpretar outras criações do pianista. “A ideia é tocarmos duas músicas de Fábio, que são ‘A Vastidão’ e ‘Samba de Almeida’. Depois, tocamos juntos uma música minha, que é ‘Jordane’. No outro momento do show eu vou interpretar algumas criações e vou fazer uma homenagem a Nailor Proveta, tocando ‘Vovô Manuel’”, diz Sérgio Danilo.

O encontro, para ele, vai servir como uma oportunidade para fazer uma prévia do que quer reunir no seu primeiro disco “Dois Amores”, previsto para ser lançado em 2015. “Todas as músicas já estão gravadas, falta apenas a etapa de finalização. O show será baseado nesse trabalho que tem uma linguagem própria e resume um pouco da minha vivência musical. Ele transita por várias vertentes da música instrumental brasileira”, afirma.

Apesar desse trabalho futuro ser o seu primeiro disco solo, Danilo é conhecido pelas parcerias que já fez com outros artistas, a exemplo de Aline Calixto, Vander Lee, Warley Henrique, Thiago Delegado, Gustavo Maguá, Túlio Araújo e Dona Ivone Lara, entre outros. Com uma forte relação com o samba, o saxofonista e flautista sublinha que “Dois Amores” se baseia, principalmente, na veia popular.

“Eu acho que há um apanhado de tudo, são escolhas que faço de maneira muito visceral. Há um pouco de cada coisa que me influenciou, como o chorinho, a ciranda, a bossa nova, o soul, o blues e o jazz. Várias pessoas ouvem uma música e apontam semelhanças com algum tipo de samba ou gafieira que já ouviram. O disco nasce dessas misturas”, acrescenta Danilo.

Na apresentação, especialmente quando interpreta “Jordane”, ele frisa que fica evidente sua relação com o jazz. “Há um momento em que Fábio sola e nessa parte alcançamos uma jazz bem tradicional”, pontua.

Agenda

O quê. Show de Sérgio Danilo

Quando. Hoje, às 20h30

Onde. Fundação de Educação Artística (rua Gonçalves Dias, 320, Funcionários)

Quanto. Entrada gratuita

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave