Medida pode aliviar alta na conta

A demanda por contratos entre as distribuidoras de energia em 2015, na previsão do governo, está acima de 5.000 Megawatts médios (MWm)

iG Minas Gerais |

BRASÍLIA. O governo federal vai usar a energia das usinas cujos contratos não foram renovados em 2012 para reduzir em cerca de 70% o risco financeiro do setor elétrico, que exigiu empréstimo de R$ 17,8 bilhões junto ao setor financeiro para ajudar a pagar pelo prejuízo das distribuidoras neste ano. A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta quarta a divisão da energia gerada por essas usinas “velhas” entre as distribuidoras, de forma a reduzir ao máximo as necessidades de contratação pelas empresas em 2015.  

“A medida reduz o risco financeiro no setor elétrico e, portanto, tem uma tendência positiva para a queda das contas de luz a partir de 2015”, disse Tiago Barros, diretor da Aneel.

A demanda por contratos entre as distribuidoras de energia em 2015, na previsão do governo, está acima de 5.000 Megawatts médios (MWm). Nesta quarta, o governo decidiu pela distribuição de cerca de 4.500 MWm das usinas velhas para as distribuidoras, conforme o seu tamanho de mercado. A Eletropaulo, por exemplo, receberá a maior parte, com 1.288 MWm, seguida da Light, com 1.060 MWm.

“O objetivo é manter o princípio de privilegiar a modicidade tarifária e não gerar desequilíbrios, levando alguns ao mercado de curto prazo (para obter contratos de geração) e deixando outros sobrecontratados”, disse.

Na ocasião da renovação das concessões e redução das tarifas pela média de 20% no início de 2013, a Lei 12.873 previu que as cotas das usinas velhas seria distribuídas tendo em vista unicamente a modicidade tarifária. Essa previsão legal acabou gerando essas distorções no mercado.

Faltará pouco

Ajuda. Com a distribuição dos 4.500 MWm de energia das usinas velhas, faltariam contratos para preencher cerca de 629 MWm. Eles podem ser comprados no leilão de dezembro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave