Uma Herança materna

Em cartaz com a peça ‘Amor de Salto Alto’, ator aprendeu a cozinhar observando a mãe

iG Minas Gerais |

Lourenço atua pela Tannure Produções
diogo faria/divulgação
Lourenço atua pela Tannure Produções

É comum que a maioria dos adultos tenha visto sua mãe cozinhar. Com o ator Filipe Lourenço, a história não foi diferente. “Sempre observei minha mãe cozinhando, e tudo o que ela fazia me deixava muito curioso, porque era muito bom”, comenta.

Lourenço, que está em cartaz com a peça “Amor de Salto Alto” até o dia 16 deste mês, no Teatro da Assembleia (rua Rodrigues Caldas 30, Santo Agostinho), revela ainda qual era o segredo utilizado por sua progenitora: “O carinho”.

A convivência com as panelas desde a infância fez com que o ator criasse familiaridade com a cozinha, mas tudo sob o olhar materno. “Ficava em casa sozinho nos fins de semana, e minha mãe deixava a comida pronta. Com isso, comecei a acrescentar temperos e vegetais para realçar o sabor”, diz.

Lourenço só cortou o cordão umbilical entre a cozinha e a mãe quando mudou de cidade para cursar artes cênicas. “Vida de estudante não é fácil e, durante um período, parei de cozinhar”, comenta o ator, revelando que não teve outra alternativa a não ser voltar a preparar alimentos. “Aprendi a fazer minhas refeições”, afirma.

O prato que ele ensina aqui, inclusive, tem relação com sua época de universitário. “Cozinhava para os meus amigos da república”, comenta. E se em outros tempos foi a mãe quem cozinhou para o ator, ele também retribuiu o cuidado materno. “Na primeira vez que ela me visitou, eu preparei este prato. Ela adorou”, relembra.

O ator convida os leitores do para sua peça, que custa R$ 15. Mais detalhes: (31) 2108-7827.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave