Alvinegros lamentam por sofrimento excessivo em classificações

Equipe precisa superar, nesta quarta-feira, o rival Flamengo por dois ou mais gols de diferença para assegurar uma vaga na final da Copa do Brasil

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Para Tardelli, histórico de classificações épicas persegue o alvinegro
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Para Tardelli, histórico de classificações épicas persegue o alvinegro

Um teste para cardíaco. Já virou rotina na vida do atleticano. Nos duelos de mata-mata, a equipe acaba vacilando longe de seu território e traz para seus domínios um resultado adverso que precisa ser revertido. Aí sobram manifestações de confiança, uma esperança renascida a cada vitória épica, resultados conseguidos muito mais na base da raça e superação nas quatro linhas do que na técnica apurada. Mas os jogadores também confessam, bem que poderia ser menos sofrido...

"Está na história do Galo. Não era o que nós queríamos, mas contra o Corinthians foi junto com a torcida, conseguimos reverter esta situação, em todo o momento a marcação em cima do Corinthians foi dobrada. Vai ser assim contra o Flamengo. Tem que marcar em cima, tomar cuidado nos contra-ataques e ser incisivo na hora de fazer os gols. Espero que a gente comece bem desde o primeiro minuto do jogo", avalia o lateral-direito Marcos Rocha, já visualizando o confronto desta quarta-feira, no Mineirão.

"A gente não queria que fosse sofrido, mas talvez seja uma trilha nossa desde o ano passado revertendo placares de dois gols de diferença. Então talvez está escrito alguma coisa, um outro roteiro diferente para a gente. E agora é Copa do Brasil, reverter e ir para a final. O mesmo 2 a 0 de sempre. Então, quem sabe a gente embale novamente neste 'Eu acredito' para conseguir a vaga na final", pontua Diego Tardelli, que também revela a razão pelo não abatimento da equipe apesar dos placares desfavoráveis.

"Nós não nos abatemos porque temos condições de reverter o placar. Perdemos para o Flamengo jogando bem, a gente procurou vencer o jogo a todo o momento. Infelizmente, tomamos dois gols por besteira, por erro nosso. Temos que fazer tudo que não fizemos no Maracanã. A equipe está motivada, está focada, é ter o equilíbrio", disse.

"Todos acreditam pelo que a gente vem apresentando. Talvez não tenha sido um resultado muito justo na Libertadores contra o Olimpia, no primeiro jogo da final, na Recopa, a gente também jogou super bem, tomamos um gol no final da partida. Contra o Flamengo foi a mesma coisa, estávamos jogando bem e acabamos levando um gol. Nossa equipe é até melhor que o Flamengo em termos de qualidade técnica. O torcedor acredita e a gente acredita mais ainda na classificação", completou.

E para conquistar esta reviravolta, nada melhor do que contar com o apoio da torcida, esta sim, fundamental para elevar o espírito de confiança do elenco a graus inimagináveis de superação.

"Chegou a hora, a gente confiante na classificação. É incorporar o mesmo espírito que tivemos contra o Corinthians. É fundamental a torcida comparecer, fazer a parte dela, porque, se Deus quiser, vamos fazer a nossa parte dentro de campo", concluiu Tardelli.