Belém registra oito mortes após assassinato de policial militar

Os crimes são investigados pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil, que ainda não sabe informar se há relação entre os casos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A cidade de Belém registrou ao menos oito mortes na noite de terça-feira (4), de acordo com a Polícia Civil. As mortes ocorreram após o assassinato de um cabo à paisana da Rotam (Ronda Ostensiva Tático Motorizado), no bairro Guamá.

Quatro das oito vítimas foram mortas no bairro Terra Firme. O restante foi morta nos bairros Marco, Guamá, Jurunas e Sideral. Na madrugada desta quarta (5), os mortos ainda não tinham sido identificadas.

Os crimes são investigados pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil, que ainda não sabe informar se há relação entre os casos.

O comando geral da Polícia Militar acionou a corregedoria da corporação para investigar denúncias relativas aos crimes. Entre a noite de terça e esta madrugada, internautas postaram mensagens de apoio e de críticas em redes sociais dizendo que as mortes ocorreram em confrontos entre policiais e criminosos.

Entre as mensagens de apoio estão: "aparentemente mataram o cabo da Rotam. E esse batalhão não tolera nada, são cruéis mesmo e estão certos", "segundo áudios, todos da Rotam estão na rua, e vão achar o "vagabundo" que matou o cabo".

Mas há aqueles que criticam: "mataram um cabo da rotam importantíssimo aqui, aí os cara se revoltaram e tão saindo matando todo mundo".

O comandante geral da PM, coronel Daniel Mendes, também acionou o gabinete interinstitucional para monitoramento e controle da situação.

Em nota oficial, as polícias militar e civil disseram que vão apurar as mortes e as informações desencontradas e "sem qualquer fundamento" espalhadas nas redes sociais.

Segundo as corporações, também serão identificados "os responsáveis pela disseminação e compartilhamentos de informações inverídicas que acabaram por gerar um ambiente de preocupação na população sem qualquer correspondência com a realidade."

Morte policial

O cabo Antônio Marco da Silva Figueiredo, 43, da Rotam, foi morto a tiros, no bairro Guamá, em Belém, por volta das 19h.

A vítima, que estava à paisana, voltava de carro para casa quando parou no cruzamento da Passagem Monte Sinai com a avenida Augusto Corrêa.

Segundo a Polícia Militar, homens em duas motos e um Honda Civic cercaram o carro do policial, dispararam vários tiros e fugiram. Ele não teve tempo de reagir.

Figueiredo foi atingido por ao menos três tiros e morreu no local, segundo a PM.

A PM não soube informar se o policial estava sofrendo algum tipo de ameaça.

Leia tudo sobre: ViolênciaBelémParáBrasilMortesPoliciaisCrimeInvestigação